Vitórias difíceis – time desarrumado

Neste início de estadual, a equipe cruzmaltina vem apresentando falhas defensivas preocupantes. Só para termos uma idéia, o Vasco é o vice-líder deste grupo, onde marcou 5 gols e sofreu 5. Saldo 0. O Fluminense, atual líder, marcou 7 gols e não sofreu nenhum. Parte da torcida já protesta nas redes sociais, alegando que não temos técnico. Hoje, em um jogo para cardíacos, conseguimos derrotar o Resende por 2 a 1 na base da correria. E quando estava 1 a 1, quase sofremos o gol do Resende em um contra-ataque.

Quanto ao jogo, devido às constantes falhas defensivas, o Vasco foi inteiramente dominado nos primeiros 15 minutos. E o Resende levou 6 minutos para abrir o placar com o atacante Kiros. E se não fosse Martin Silva com suas defesas, não seria absurdo o Resende estar vencendo por 2 ou mais gols, tamanha a profusão de chances que teve nos primeiros 15 minutos. Ao tomar o gol, o Vasco partiu para dentro e as oportunidades começaram a aparecer. Mesmo assim, o Resende continuava a contra-atacar com perigo. Ou seja, um primeiro tempo para ser esquecido.

No segundo tempo, com algumas alterações, dentre elas as de Jean no lugar de Evander e Muriqui no de Alan Cardoso, o Vasco teve uma melhora considerável. E pressionou o Resende. Tanto que aos 2 minutos, em boa jogada pelo lado direito, Nenê lança Yago Pikachu, que cruza para Escudero empatar: 1 a 1. Daí até o final, foi uma blitz do Vasco para virar o jogo e o Resende se defendendo com coragem e perigo nos contra-ataques. Destaque para um lance na lateral direita cruzmaltina, em que Martin Silva foi até lá, deu um carrinho no atacante do Resende e tomou a bola do adversário. Jogada de raça que animou a torcida. Até que, aos 40 minutos, passe para Muriqui na ponta-direita que cruza para Thalles marcar 2 a 1 Vasco. Uma vitória sofrida e uma atuação preocupante da equipe cruzmaltina, principalmente em seu sistema defensivo. O Vasco tem que melhorar sua defesa. 5 gols em 3 jogos, média de quase 2 gols sofridos por jogo.

No jogo contra o Bangu, o Vasco teve uma atuação de raça. Não foi brilhante, mas correu atrás e ganhou na raça. Hoje, contra o Resende, uma atuação ruim. Apesar de vice-líder, o desempenho do time nos preocupa. Pode ser que, com a entrada do Jean, que melhorou o time no segundo tempo, Gilberto e Kelvin, contratado na última sexta, o time possa encorpar mais. De qualquer modo precisamos arrumar do meio-campo para trás, porque realmente o Vasco constantemente é atacado e a fragilidade do sistema defensivo é flagrante. Se terminasse assim esta fase, pegaríamos os mulambos que hoje tem um ataque que fez 11 gols e sofreu apenas um gol. Será que conseguiríamos manter a freguesia?