Vasco 1 x 0 Botafogo – festinha de criança

E surge uma festinha de criança na hora do jogo. Todo mundo que tem filho pequeno sabe o que é isso. Festa marcada para as três da tarde, num clube. Lógico que só consegui levantar acampamento de casa praticamente as quatro.

Ouvi o primeiro tempo pela (pavorosa) transmissão da CBN, no rádio do carro. Na hora do gol não consegui entender de quem era o gol. Achava ser do Vasco graças ao barulho da torcida. Felizmente era.

Consegui me sentar à frente de uma tv no bar do clube aos seis minutos do segundo tempo. Apenas um outro sujeito também assistia o jogo. Dois míseros cidadãos vieram ver o resultado enquanto o jogo rolava. O clube estava cheio. Interesse zero. Pobre futebol.

Do jogo, pouco a dizer. Partida sensacional de Marcelo Mattos e Andrezinho. Devagarinho, o camisa cinco foi chegando a titular e agora já é um dos pontos de equilíbrio do time. Imprescindível.

Cessaram por completo as críticas da imprensa à velhice do time do Vasco. O time, velhos inclusive, aguenta muito bem os noventa minutos, normalmente mostrando preparo físico melhor que o de adversários mais jovens.

Jorginho quase pôs tudo a perder ao demorar uma eternidade para mexer no time. As mudanças corrigiram a parte de trás do time e e ajudaram o ataque a segurar a bola na frente, o que não aconteceu enquanto Jorginho assistia o caos se desenrolar em campo.

Por último, Madson e Julio dos Santos estão esgotando minha paciência. Tá na hora de esquentarem banco.

Quarta-feira o Vasco vem me visitar. Espero apenas uma vitória. Só.