Valeu pela raça

Infelizmente não foi possível. Com todas as limitações já conhecidas, o Vasco fez uma partida emocionante, na raça. Venceu por 2 a 1, mas não levou. Mas teve brio até o fim, empenho. Bem diferente das partidas anteriores contra os urubus, em que apenas na segunda partida, se teve alguma disposição, mais por conta da acomodação adversária.

Foi um jogo emocionante, corrido,com erros de ambos os lados com chances de gol proporcionadas por ambos os times. Só no primeiro tempo, foram 5; 2 para eles e 3 para nós. Aos 2 minutos, Lenadro Castan sente novamente dor mna mesma coxa em que sentiu anteriormente e dá lugar a Ricardo Graça. Logo aos 11 minutos, o primeiro gol cruzmaltino: Éverson e Aguillar saem jogando errado, Lucas Santos rouba a bola, toca para Maxi López que apara de calcanhar para Raul somente completar para o gol. E a torcida, enlouquecida com o gol logo de inicio, empurrou o time para a frente. Mas o Santos tentou o empate com Derliz González aos 16 e Fernando Miguel faz a defesa. E aos 22, Rodrygo driblou 2 e chutou para nova defesa de Fernando Miguel. E após essa defesa, Miguel sente a panturrilha direita e dá lugar a Alexander. Aos 37 minutos, nova bobeira da defesa santista e Raul chuta e a bola bate na zaga deles. Escanteio batido com precisão por Danilo Barcelos e Ricardo Graça sobe no último andar e faz 2 a 0 para o time cruzmaltino. Fim do primeiro tempo.

No segundo tempo, o Vasco voltou meio acomodado, parecendo cansado. E tomou o gol logo aos 11 minutos, em que Soteldo veio pela esquerda, driblou facilmente Cáceres e tocou rasteiro para Jorge chutar colocado e forte; Alexander ainda tocou na bola, mas não foi possível evitar o gol santista. A partir daí, foi o Vasco em busca do terceiro gol para levar para os pênaltis e o Santos nos contra-ataques. E nisso, o jogo e tornou dramático e o Vasco perdeu 2 chance incríveis: uma com Marrony aos 14, em uma dividida com Éverson e tocou por cobertura com o gol vazio, para fora. E aos 50 minutos, Maxi López, também em uma sobra de bola, também perde um gol incrível, com o gol todo aberto. E assim, o Vasco se despediu de uma forma honrosa, brigando. Mas ao menos lutou e poderia ter uma sorte melhor.

Com a eliminação hoje, só restou o Brasileirão para o Vasco. Um desafio para todas as limitações que sabemos ter. E que o Vasco consiga ao menos fazer um campeonato sem maiores sustos, leia-se ficar longe do Z4 ao longo da competição. A partir de domingo, começa essa árdua caminhada de 38 rodadas.