Uma Vitória Olímpica

Quem poderia imaginar que até os 12 minutos do segundo tempo , do jogo de ontem entre CRB e Vasco fosse acontecer um lance daqueles que serão eternos e aparecerão emoldurando vinhetas de programas esportivos ? Assim como o famoso gol do lençol de Roberto Dinamite em 1976 em um Vasco x Botafogo , que estava a caminhar como um jogo sem graça, o gol olímpico de Andrezinho ontem, uma verdadeira pintura, será daqueles gols que ficarão na história e será repetido por décadas e décadas.

Quanto ao jogo, mais uma vez uma vitória sofrida em que o Vasco voltou a ter falhas defensivas grotescas, como a do gol do CRB, mas que tem um paredão que, juntamente com Andrezinho garantiu a vitória de ontem: Martin Andrés Silva. Ontem foi uma vitória bem ao estilo do atual time do Vasco: dando campo ao time adversário e contra-ataques e bolas paradas com precisão cirúrgica e letal. O CRB começou o jogo partindo para cima, mas sem nenhum perigo para a meta defendida por Martin Silva. O primeiro chute a gol com perigo dado pelo CRB foi aos 19 minutos, o que demonstrava a dificuldade do CRB em atacar o escrete cruzmaltino. Tudo estava sob controle, até que por volta dos 26 minutos, o lateral Julio César recua imprudentemente a bola para o meio da zaga, o péssimo Aislan se distrai e Lúcio Maranhão se aproveita da lambança de nossa defesa e faz CRB 1 a 0. Poderíamos dizer que foi uma infelicidade, mas a verdade é que Julio César, desde que voltou de uma contusão sofrida no tornozelo ainda dentro do Estadual 2016, não é mais o mesmo; tem falhado muito na defesa e o ápice foi o gol entregue ao CRB. Por sorte, nosso bravo adversário resolveu nos retribuir a gentileza aos 29 minutos: em uma bola meio que mascada na ponta-esquerda, Leandrão domina, usa o corpo e gira em torno de um zagueiro, dribla o segundo e na raça solta um chute de esquerda com precisão no canto esquerdo do goleiro Juliano, do CRB: 1 a 1. Portanto reação imediata ao gol sofrido na pixotada da defesa.

No segundo tempo, até os 12 minutos, o jogo vinha morno até que: córner do lado esquerdo de ataque do Vasco. Andrezinho se prepara para cobrar o escanteio. Eis que quando todos esperam o cruzamento preciso na área do CRB, com rara felicidade Andrezinho surpreende a todos com uma cobrança magistral e inesperada surpreendendo o goleiro Juliano do CRB que se preparava para sair do gol, sendo encoberto de forma espetacular : Vasco 2 a 1. Um lance sensacional, tal a precisão e categoria do chute de Andrezinho que é como a bola tivesse sido colocada com a mão. Nenê tentou este gol algumas vezes sem sucesso. Andrezinho conseguiu. Depois, coube a Martin Silva garantir nossa importante vitória com grandes defesas, pelo menos duas, e a defesa que garantiu nosso triunfo: a defesa de um pênalti inexistente cobrado pelo ex-lateral cruzmaltino Diego. Pênalti que não é , não entra. Ponto. Após o gol, o CRB voltou a dominar o jogo, conforme falado antes, obrigou Martin Silva a fazer grandes defesas que garantiram mais 3 pontos. Com isso, o Vasco abre 5 pontos em relação ao segundo colocado, hoje o Ceará e 8 em relação ao quinto colocado, hoje o Luverdense.

Mas independente do resultado, mesmo que o Vasco não vencesse, o gol olímpico de Andrezinho já teria valido o ingresso inteiro do jogo. Uma vitória com golaço olímpico e precisão cirúrgica mais uma vez, bem ao estilo da dupla Jorginho e Zinho.