Uma vitória dura. Mas é o destino

Um jogo duro, truncado e eletrizante. Foi o que se teve hoje em São Janu hoje pela manhã. E o onze cruzmaltino mais uma vez venceu e de virada, por 2 a 1. O resultado poderia ser mais amplo, pois tivemos muito mais chances que a equipe tricolor. Mas faltou pontaria. E também com 2 a menos, o Vasco poderia ampliar. Mas o que importa é que venceu e o destino segue.

O primeiro tempo teve um amplo domínio do time cruzmaltino. Porém, o Vasco criou poucas chances diante deste domínio, 4. Os flores tiveram apenas 2. Aos 9, Valdívia roubou a bola e chutou para boa defesa de Agenor; aos 14, o tricolor chegou com Pedro e Sidão espalmou para escanteio. Aos 17, Raul ganhou na cabeça de Caio Henrique e chutou cruzado; Nino salvou em cima da linha. Aos 35, Pikachu chuta e a bola bate na zaga. Aos 42, novamente Raul recebe livre e chuta, e novamente a zaga tricolor salva em cima da linha, dessa vez com Bruno Silva. E quem não faz toma, aos 46, a zaga cruzmaltina cochila em uma bola espirrada e Henriquez vacila e Pedro puxa a bola a frente e toca no canto, sem chance para Sidão, abrindo o placar para os tricolores.

No segundo tempo, permaneceu o Vasco com o domínio, mas sem a mesma efetividade. Mas aos 12, um lance muda o destino da partida. Digão sola Richard e recebe o segundo amarelo e é expulso. E aos 21 minutos, o empate: Bruno César cobra o escanteio, Marrony cabeceia para o meio, Leandro Castan tenta a primeira e na segunda, empata o jogo. E aos 30, o lance decisivo: lançamento para Pikachu, já adiantado no meio e é seguro por Frazão que segurou-o. O zagueiro é expulso também. E Bruno César cobra com categoria e dá números finais ao jogo. Após o gol, nada de relevante ocorreu; o Vasco tocou apenas a bola para o tempo passar.

Com a vitória, o onze cruzmaltino sentiu um certo alívio e se afastou um pouco do Z4. o próximo jogo é nada menos do que contra o atual líder da competição, o Palmeiras. E o que vier será lucro para a equipe cruzmaltina.