Uma nau sem rumo

E o vento levou…Com duas atuações ridículas nesta semana, o Vasco sofreu duas derrotas que não poderia. A derrota para o Atlético Paranaense na segunda por 1 a 0 e a goleada sofrida hoje em casa para o Cruzeiro por 3 a 0 nos colocaram na real: lutar para não cair. O trauma da Série B volta a nos rondar novamente. Estamos a 4 pontos do Z4. Não custa nada lembrar que esse filme já vimos umas três vezes.

O jogo de segunda-feira foi horroroso. O Vasco dominou o jogo; porém o Furacão se fechou e jogou por uma bola. E ela veio em dois vacilos: primeiro pela avenida Gilberto e depois em uma falha bisonha de Henrique que tentou dominar, furou a bola, que sobrou limpa para Ribamar empurrar para a rede. Depois, o mesmo Henrique tentou se redimir, dando um chute bem colocado para grande defesa de Weverton com a bola triscando a trave e na volta Paulo Vitor acertou o travessão. E foi só. Mas hoje amigos, o Vasco não entrou em campo, tamanha a facilidade da raposa para dominar inteiramente o jogo e fazer 3 a 0 com uma certa facilidade. E foi exatamente assim a partida. Com 2 minutos, falta na entrada da área ; Tiago Neves cobra a bola passa por toda a defesa e entra no canto esquerdo de Martin Silva, que nem vai na bola. Cruzeiro 1 a 0. E o que já era bom ficou melhor ainda quando aos 24 minutos, Rafael Marques erra o tempo de bola e entra feito um bonde em Sassá e o derruba: pênalti. Sassá cobra com perfeição e 2 a 0 Cruzeiro. Com 2 a 0 favorável aos 25 minutos, o Cruzeiro administrou bem o controle do jogo e o Vasco nao criava nada em termos ofensivos. E assim, primeiro tempo finito.

No segundo tempo, o panorama nao muda e o Cruzeiro seguia controlando a partida. O Vasco nao consegue criar nada e o Cruzeiro, que incomoda o nos contra-ataques. E até quando o jogo caminhava para seu final, bela esticada de bola para Robinho; este traz a bola para o meio, dribla dois e.. faz um belo gol. O Vasco ficou entregue às baratas. Só que há anos que já era assim.

Cabe agora a nós cruzmaltinos, depois dessas derrotas até certo ponto vexatórias, tentar retomar o prumo. O que sabemos é que nem MM, tampouco ele de que nao podemos tomar gols em minutos inicias. Mais uma vez, o relógio despertou e aí já nao tinha mais jeito. O gol sofrido no início abalou a equipe que ficou sem fazer uma jogada sequer de ataque. A nau está fora do prumo.

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *

 me restam!