Uma derrota esperada, mas evitável

A equipe do Vasco da Gama montada hoje para enfrentar o Grêmio, um dos melhores times do Brasil na atualidade, poderia ter evitado a derrota hoje na Arena do Grêmio por 2 a 0. Fizemos um jogo parelho, Martin Silva fez apenas uma defesa relevante, de resto o nosso adversário chutou pouco a gol e mal, assim como nós. O goleiro deles não fez uma defesa sequer. Se o jogo terminasse empatado, o que era nosso objetivo, não seria nenhum absurdo. Foi um jogo corrido.

No primeiro tempo, MM surpreendeu em sua escalação, ao tirar Pikachu e colocar Wellington, como segundo volante. Por incrível que pareça, esta formação funcionou até um certo ponto. O Grêmio pouco consegue chegar a nossa área e o time consegue trocar passes no campo de ataque. Pelo lado esquerdo Manga Escobar consegue criar algumas boas jogadas, por vezes com tabelas com o lateral Henrique. Em uma dessas jogadas, ele serve a Henrique, que cruza para área e Cortez ao cortar o cruzamento quase faz contra. E em outra, ele corta Leonardo Moura para dentro e chuta com perigo à esquerda de Marcelo Grohe. Mas quem não aproveita as poucas chances que surgem, acaba sendo castigado. E assim foi com a equipe cruzmaltina. Depois desse lance de Manga Escobar, Pedro Rocha aparece entre os zagueiros e Martin Silva consegue interceptar em sua grande defesa no jogo. Pouco depois em um lance confuso em nossa grande área, Wellington se enrosca com Pedro Geromel e este cai como se mergulhasse em uma piscina. Pênalti duvidoso, que Barrios cobra com uma certa categoria e faz Grêmio 1 a 0. Em tempo, foram 5 pênaltis em 4 rodadas. Podemos dizer que os 4 primeiros contra Palmeiras e Fluminense foram, mas este último, se olharmos o lance, embora haja um toque entre os jogadores, Geromel não perde o equilíbrio; ele dá o mergulho, o que indica que houve um exagero nesta marcação. E detalhe: quem marcou o pênalti, não foi Sandro Meira Ricci e sim o árbitro de linha, o que torna mais embaraçosos os fatos. Mas já era.

No segundo tempo, com a desvantagem em um gol, o Vasco vem com a marcação alta, com a substituição de Manga Escobar por Thalles; aí vem o começo do fim. Foi uma substituição que se mostrou equivocada, uma vez que Thalles se encontrava em uma espécie de hotel spa para perder peso…. E não é em um semana que alguém perde 12 quilos por milagre. Deveria ter ficado mais tempo. Uma substituição queimada e que acabou nos trazendo consequências desastrosas, afinal Manga Escobar era nosso melhor atacante. O Vasco perde boa parte de sua ofensividade vista no primeiro tempo e o Grêmio começa a jogar melhor. No primeiro tempo fizeram pouco e precisaram de um pênalti para sair na frente. Porém, no segundo tempo, aparece a estrela de Luan, o melhor em campo hoje, correndo o campo todo. Pouco depois, MM coloca Guilherme Costa e depois Nenê. Mas o time não melhora e o Grêmio crescendo mais no final. A gente pouco ameaça o gol gremista e, no final Nenê tenta cavar um pênalti e aos 47 mintuos, nos acréscimos, linha de passe com Léo Moura, Gastón de calcanhar, até a bola chegar a Luan e…. Grêmio 2 a 0, dando números finais à partida.

Portanto, poderíamos ter um resultado melhor. O Vasco fez uma boa partida dentro de suas limitações, porém enfrentamos um dos melhores times do campeonato. Demos duas vaciladas e dois gols do Grêmio. Lição de casa: contra times superiores a nós, temos que jogar 110, 120 por cento. E temos que aproveitar as poucas chances que surgem, como a de Manga Escobar no primeiro tempo. Temos um outro jogo complicado contra os gambás, os quais não vencemos desde 2010. São uma das maiores pedras em nosso sapato hoje. Jogo contra eles sempre é complicado. Só que é em casa. Que nossa torcida faça nossa parte e lote São Janu para ganharmos deles, nem que seja na marra.