Um resultado providencial

Foi um jogo fraco tecnicamente.  Um time limitado de um lado e do outro uma equipe bizarra. No final, o importante é que o time crzumaltino venceu por 1 a 0 e os três pontos são nossos. Uma vitória providencial, tendo em vista a proximidade do Z4. Um alívio.

O jogo foi duro de se ver. Mas para quem escreve, tem que acompanhar os jogos, sejam eles memoráveis, sejam eles autênticas peladas.  O primeiro tempo foi praticamente nulo, a não ser o nosso gol.  Não houve nenhum grande lance que levantasse o torcedor ou alguma jogada de categoria.  Foi um jogo de intermediária a intermediária, muito fechado, principalmente por parte dos visitantes. O Paraná entrou fechado com o objetivo de empatar. E nisso trancou o jogo.  O Vasco, com um time que nunca havia jogado junto, padeceu um pouco, com erros de passe em profusão.  Logo, para o gol sair, só em um lance isolado.  E foi o que aconteceu aos 43 minutos: lançamento primoroso do volante Andrey praticamente do campo de defesa, em profundidade; Pikachu escapa de Caio Henrique, dá um chapéu em Tiago Rodrigues e entra com bola e tudo.  Golaço. E assim termina o primeiro tempo.

No segundo tempo, tivemos um jogo mais movimentado.  E o Vasco voltou mais incisivo.  E logo a 1 minuto e meio, Riascos escapa pela direita e chuta por cima do gol. E mais adiante aos 12, recebe passe de Henrique, domina e chuta com perigo, rente ao travessão.  Mas inexplicavelmente, o Vasco recua para jogar no contra ataque; e com isso chama o Paraná para seu campo.  E aos 26 minutos, o primeiro susto: Guilherma Biteco dá um chapéu em Caio Monteiro e solta um belo passe para Léo Itaperuna, que tinha acabado de entrar e cara a cara com Fernando Miguel, este faz um milagre e desvia para escanteio. Mas aos 35 minutos, uma chance para ampliarmos: Andrés Rios é lançado por Andrey, dribla o zagueiro Neres e é derrubado por este. Pênalti claro.  Giovanni Augusto, que tinha entrado no lugar de Cosendey, bate na mão do goleiro Tiago Rodrigues.  O jogo seguiu franco, com ataques de lado a lado. Aos 40 minutos, um recuo de bola bisonho de Luiz Gustavo e Carlos Eduardo entra cara a cara com Fernando Miguel, mas prefere saltar por cima do goleiro cruzmaltino para tentar um pênalti. Tivemos duas expulsões: uma de Neris pelo Paraná e o garoto Bruno Moresche pelo Vasco.  O juiz dá 6 minutos de prorrogação e nisso o Paraná tentou aos 48 minutos, com um chute do zagueiro Cléber Reis para boa defesa de Fernando Miguel.  E garantimos o 1 a 0 no final.

Diante das circunstâncias e cm um time montado, dentro das possibilidades que havia, esse time correspondeu ao objetivo.  Com 5 jogadores da base, conseguimos um resultado importante. Será que deveríamos manter este time diante do Botafogo ? Não será, porque Henrique está suspenso e deverá entrar Ramon (Fabricio, não!).  Mas, de resto, fora uma bola mal atrasada, Luiz Gustavo cumpriu direitinho de fechar o lado direito, Werley e Ricardo Graça formaram uma dupla boa e Fernando Miguel foi seguro.  Andrey foi muito bem, com um ótimo lançamento para o gol da vitória. Ele e Pikachu foram os melhores hoje.  Agora é manter essa pegada e, aos poucos remontar a defesa para respirarmos ares melhores nesse Brasileiro.