Treinos, finalmente

 

vasco treino outubro 2014

No cenário do futebol profissional do Brasil, não chega a causar estranheza que um treinador tenha quase um mês de casa e não tenha conseguido fazer um coletivo sequer.

Calendário alucinante, exigências da TV que paga e quer seu “mero produto” ao seu feitio, o corre-corre de viagens que atravessam o continente Brasil (para ocupar os elefantes brancos pós-Copa) e pronto: simplesmente não há tempo.

Depois, claro, a culpa é somente do treinador.

Tudo bem que alguns merecem uns cascudos, taí o Adilson que não deixava mentir.

Agora, vejam a pedreira que Joel Santana encarou.

Para piorar, ele mesmo se contundiu (em sentido figurado), foi parar no hospital, uma breve cirurgia de vesícula (mas cirurgia é cirurgia). Depois disso, está em recuperação e finalmente poderá treinar seu time.

Agora, depois de grande maratona, finalmente quatro dias de preparação em São Januário para o próximo jogo de sexta, contra o Bragantino.

O Vasco tem 47 pontos, é o quarto colocado, com quatro à frente do Ceará, time imediatamente abaixo, e a dois dos líderes, Avaí e Ponte Preta, ambos com 49. A diferença é pequena; no entanto, a partida contra o eterno time de Nabi Abi Chedid tem ares de decisão por um detalhe: o número de vitórias.

Avaí e Ponte tem 14 triunfos; o Vasco, 12. Abaixo, Ceará e Boa Esporte também tem 12.

Apesar da vantagem, o Cruz-Maltino não pode bobear: é preciso vencer em casa, marcar posição e principalmente ter na manga um possível trunfo em caso de desempate, dado o equilíbrio da série B. Até a volta à primeira divisão – que acontecerá! -, serão dois meses de luta e empenho.

Depois do Bragantino (13º), o Vasco enfrenta a Portuguesa (19º) no Canindé, o Boa Esporte (6º) num confronto direto em São Januário e sai para encarar o Santa Cruz (11º) no Arruda.

Dois times de meio de tabela, um que briga pelo G4 e um no Z4.

Claro que os vascaínos torcem por 12 pontos que, somados aos atuais 47, praticamente encaminhariam a classificação a oito rodadas do fim do certame.

Uma coisa é certa: não se pode errar em casa e nem contra a desesperada Portuguesa (quem mandou ser amiguinha da Gávea?), que dificilmente tirará pontos importantes das outras equipes que brigam pela série A em 2015.

Dez pontos seriam excelentes.

A torcida continua.

Com Papai Joel treinando o time em breve, a expectativa é de melhora acentuada.

Nota: escrevi esta coluna por volta das 17 horas de ontem e, no fechamento, soube que, por problemas aéreos, Kleber chegou atrasado ao treino de hoje. Mas também não vai enfrentar o Bragantino, já que está suspenso. Recordo um grande álbum dos ingleses do Supertramp: “Some things never change”, cuja tradução é “Algumas coisas nunca mudam”.

@pauloandel