Torcedores, calma!

Tentarei fazer uma análise mais fria possível em relação a venda de nossa maior promessa dos últimos anos.

No dia 25/04/2018, foi noticiado pela imprensa que a maior promessa do Vasco está de saída para o Bayer Leverkusen e que essa quantia giraria em torno de 25 a 30 milhões de euros.

Inevitavelmente vieram alguns questionamentos:

1 – “Vender para o Bayer Leverkusen”

Quem é o Bayer Leverkusen? Um clube que nunca ganhou um campeonato alemão, tendo alcançado somente alguns vices e como maior feito um único título da Copa da Uefa na temporada de 87/88.

Conhecido no Brasil por ter sido o clube de craques brasileiros como: Paulo Sérgio, Jorginho, Lúcio, Juan, Emerson, Zé Roberto e Renato Augusto.

Foi o clube que abriu as portas da Europa para todos esses jogadores (a exceção é o Zé Roberto que passou 1 ano no Real Madrid antes de ir para o Leverkusen).

Portanto é de se esperar que Paulinho siga o mesmo caminho e que daqui pouco tempo seja vendido para algum gigante europeu.

Pensando com frieza, será ótimo pro Vasco, que vai ganhar um % em cima da próxima venda no futuro, o que dificilmente aconteceria se Paulinho fosse vendido para um gigante europeu hoje.

Isso tudo, sem mencionar no desejo do jogador que deve ter considerado proposta salarial e chances de jogar mais no Leverkusen do que em outro gigante, onde acabaria no banco ou emprestado.

Então, concluo que para o Vasco foi até bom vender para o Leverkusen.

2 – “Tinha que ser o mesmo preço do Vinícius Júnior”

Inicialmente, na emoção, não aceitava uma venda menor do que a venda do Vinícius Júnior pra o Real Madrid, mas se pensarmos friamente como é o objetivo desta coluna, temos que considerar alguns fatores que favoreceram o Flamengo no negócio com o Real Madrid.

a) O desespero do Real Madrid em perder o Vinícius Júnior para o Barcelona, assim como perdeu o Neymar.

b) A explosão do Vinícius Júnior no Sulamericano e Mundial Sub 20.

c) A situação financeira estável do Flamengo, que deu maior poder de negociação e possibilidade de fazer um jogo mais duro na hora da venda.

Portanto, deixando de lado a qualidade técnica de ambos meninos (que a meu ver estão no mesmo patamar, com leve favorecimento ao Paulinho, porque aparentemente está mais preparado psicologicamente e fisicamente), o momento da venda favoreceu o Flamengo, que conseguiu fazer um negócio que nem tão cedo veremos novamente.

Portanto, não dá pra dizer que foi uma venda ruim (apesar de a parte emocional não aceitar ele sair por menos que o Vinícius Júnior).

3- “Mau negócio, saiu barato”

Abaixo listo as maiores negociações do futebol brasileiro após o ano de 2000*:

– Neymar (Santos para Barcelona, 2013): 88,4 milhões de euros – R$ 322 milhões
– Vinicius Jr. (Fla para Real Madrid, 2017: 45 milhões de euros – R$ 164 milhões
– Lucas (São Paulo para PSG, 2013): 40 milhões de euros – R$ 146 milhões
– Gabriel Jesus (Palmeiras para M.City, 2016): 32 milhões de euros – R$ 117 milhões
– Oscar (Inter para Chelsea, 2012): 32 milhões de euros – R$ 117 milhões
– Paulinho (Vasco para Leverkusen, 2018): 30 milhões de euros – R$ 127 milhões
– Bernard (Atlético-MG para Shakhtar, 2013): 25 milhões de euros – R$ 91 milhões
– Gabigol (Santos para Inter de Milão, 2016): 25 milhões de euros – R$ 91 milhões
– Robinho (Santos para Real Madrid, 2005): 25 milhões de euros – R$ 91 milhões
– Alexandre Pato (Inter para Milan, 2007): 22 milhões de euros – R$ 80 milhões

* Valores na cotação atual e respectivas correções monetárias (fonte de 22/05/2017)

Analisando a lista:

– Neymar: sem comentários.
– Vinícius Júnior: já falado acima.
– Lucas: saiu após 3 anos de profissional e campeão da copa Sul-americana em 2012 e com convocações pra seleção principal.
– Gabriel Jesus: saiu campeão da copa do Brasil, brasileiro e artilheiro do Palmeiras em 2016 e campeão olímpico.
– Oscar: saiu após 3 anos de profissional, campeão brasileiro pelo São Paulo, Recopa pelo Inter e com convocações pra seleção principal.
– Bernard: saiu campeão da Libertadores e com convocações pra seleção principal.
– Gabigol: saiu após 3 anos de profissional, artilheiro do Santos, campeão olímpico e com convocações pra seleção principal.
– Robinho: sem comentários.
– Alexandre Pato: saiu campeão mundial e recopa Sul-americana pelo Inter

Portanto, não podemos falar que o Vasco fez um mau negócio. Todos saíram de seus clubes mais novos, campeões e com mais bagagem que o Paulinho (talvez o único que se aproxime seja o Pato, que saiu com poucos jogos e muito novo, porém campeão mundial).

Temos que considerar que Paulinho ainda está com 17 anos, não ganhou nenhum título e tem pouca bagagem, logo considero que o Vasco fez sim uma boa negociação (se o preço que está sendo noticiado for verdadeiro).

Temos que considerar que o Vasco está asfixiado financeiramente, o que diminui o poder de barganha.

Temos que considerar que essa grana vem em ótimo momento.

Sim, queria que essa grana fosse investida na construção de um CT ou modernização de São Januário.

Sim, queria que essa grana fosse investida em contratações de peso para brigarmos por títulos.
Mas vamos trabalhar com a realidade: essa grana será para pagar atrasados, dívidas e mais nada.

É triste ver o Vasco perder uma promessa na qualidade do Paulinho para pagar dívidas e não ter essa grana revertida em benefício direto ao clube, mas é a nossa realidade.

Outros Paulinhos virão e assim como o atual, serão vendidos (como é com todos os clubes brasileiros), porém espero que nossa próxima venda seja para benefício direto do clube e não pagar dívidas.

No mais…

VOA GAROTO!