Terceira vitória seguida: os méritos de Zé Ricardo

Em 7 jogos, 4 vitórias, 2 empates e apenas 1 derrota. 66% de aproveitamento. Esse é o Vasco de Zé Ricardo. Ao contrário do que parte da torcida pensava, Zé Ricardo deu uma cara interessante a um time que estava meio sem rumo. E conseguiu estabilizar a equipe cruzmaltina. E poucos sabem de um detalhe: ainda que ele tenha aparecido em nosso maior rival, as raízes de Zé Ricardo são cruzmaltinas. Na década de 90, ele iniciou sua carreira de treinador em nosso futsal e revelou nada mais, nada menos do que Felipe e Pedrinho, que dispensam comentários. Logo, assim como MM, ele também tem origens em nosso clube. E vem fazendo um belo trabalho. Arrumou nossa defesa que tomava gol todo o jogo e agora está há dois jogos sem levar gol. Realmente uma evolução e tanto.

O jogo em si foi duro de se ver, a exemplo do jogo anterior contra nosso eterno freguês Botafogo. No primeiro tempo, jogamos um pouco melhor que nosso adversário de hoje, o Dragão (Atlético-GO). Tivemos duas boas chance de gol, ambas com Pikachu. Uma aos 13 minutos, em um passe de Nenê em que ele chutou para boa defesa de Marcos. E a outra aos 37 minutos, em uma cabeçada, com outra boa defesa de Marcos em cruzamento certeiro de Ramon. E o gol de nossa vitória saiu em um lance bizarro: aos 30 minutos, Nenê, lança Andrés Rios pela direita, que cruza rasteiro e o zagueiro Eduardo Bauermann chuta a bola na canela de seu companheiro, o lateral Jonathan e a bola entra mansamente no canto esquerdo do goleiro Marcos, fazendo 1 a 0 para o Vasco. Parecia jogo de totó, a bola batendo em um jogador e noutro. Pouco depois, boa jogada de Madson que cruza rasteiro, mas Mateus Vital chega atrasado e a defesa adversária consegue travar seu chute. E o nosso adversário teve apenas uma chance com Luis Fernando em defesa de Martin Silva. Diferentemente do jogo anterior, jogamos melhor no primeiro tempo.

Já no segundo tempo, o Vasco caiu de produção. Visivelmente, o time sentiu a ausência de Anderson Martins que, além de ter melhorado nossa defesa, hoje é o nosso líder, nosso anteparo de confiança. Com isso, o Atlético-GO veio para cima na base do tudo ou nada. Teve uma boa chance com Luis Fernando que chutou no cantinho e Martin Silva colocou para escanteio. E o dragão abusou dos cruzamentos sobre a área cruzmaltina. O Vasco caiu de produção e passou a administrar o resultado, tentando aproveitar uma brecha do Atlético-GO para os contra ataques. Só que continuamos sempre a errar o último passe e aí perdemos esses contra ataques. O Vasco precisa ajustar esses erros de passe. São passes fáceis que o time erra. E perdemos um sem número de bons ataques, por conta disso. Mesmo assim, tivemos uma boa chance com Ramon, em passe de Nenê, que soltou a bomba para boa defesa de Marcos. Fora isso, criamos muito pouco. Porém,conseguimos administrar até o final, sem muitas ameaças, e o jogo se tornou sonolento depois dos 25 minutos finais. E a não ser esse chute de Ramon e outro traiçoeiro do zagueiro Gilvan que quase surpreendeu Martin Silva que salvou em cima da linha, quase dentro do gol, foram poucos lances de perigo.

No final das contas, cconseguimos mais 3 pontos. A consequência imediata: chegamos a terceira vitória seguida, que não conseguíamos desde 2012. E além disso, praticamente nos livramos do rebaixamento, já que chegamos a 42 pontos. E com 27 pontos em disputa, precisamos de apenas 4 ou 5 pontos. Logo, praticamente o risco de cair para a série B é de menos de 1%. Podemos agora pensar em objetivos maiores. E Zé Ricardo tem todos os méritos, pois imprimiu uma melhora defensiva evidente que fez com que a equipe cruzmaltina evoluisse muito nos últimos 7,8 jogos. Méritos de Zé Ricardo que soube chamar o grupo à sua feição e os resultados estão a aparecer mais rapidamente. Está no caminho certo.

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *