Sobrenatural

Estava eu aqui tranquilo, na paz do meu lar, 9 da noite, vendo mais uma das intermináveis reportagens sobre a atuação do Brasil. Era, no caso, mais uma daquelas reportagens-poesia de Tino Marcos. De embrulhar o estômago.

Mas algo me incomodava e eu não conseguia descobrir o que era até que lembrei do fatídico último jogo do Vasco antes da Copa. Instantaneamente a alegria acabou. Preparei-me então para testemunhar a partida contra o poderoso Boa Esporte.

Enquanto os vinte e dois ineptos massacravam a bola, fui buscar o porquê do nome esquisitíssmo do adversário. O Boa VONTADE Esporte Clube foi fundado em 1947 e,no mesmo ano, virou Ituiutaba, nome que o acompanhou até 2011, quando subiu da Série C pra Série B, onde tivemos hoje o prazer de vê-lo jogar. Ao subir, descobriu que o estádio dacidade onde mandava os jogos não tinha condições de receber partidas da 2a divisão. Eis então que surge o convite de Varginha para uma sucursal na cidade. Na prática, o clube mudou de mala e disco voador para a cidade. E, como seria totalmente ridículo existir o Ituiutaba de Varginha, voltou a ser Boa Esporte.

O Boa Esporte manda seus jogos no estádio Melão. Talvez o único melão octogonal da face da terra.

Bem, então temos o Vasco jogando em Varginha contra o Boa Esporte no estádio Melão. Tudo esquisito.

O que foi bem regular foi a atuação. Regularmente medíocre. Não consigo me lembrar de um único chute no gol no 1o tempo do Vasco. No segundo tempo, o time continuava pavoroso. Salvava-se Rafael Silva, que veio do Ituano e vinha buscar jogo e tentar alguma coisa pelas laterais.

Claro, Adilson não gostou e sacou o atacante que tentava esculhambar a mediocridade do time. No jogo passado, Montoya também era o menos ruim em campo e foi rapidamente tirado de campo.

Depois de muita luta com a bola e pela bola, Diego Renan fez boa jogada e, no rebote do goleiro, abrimos o placar com Edmilson, que não jogava nada.

As esquisitices continuaram. Um atacante adversário perde sozinho, na pequena área, ao concluir de chapa um cruzamento. Estranheza das estranhezas, Diogo Silva salvou o time com uma defesa a queima-roupa. E depois, Dakson, o reserva posto em campo no lugar de Rafael Silva, fez linda jogada para liquidar o jogo, aos 40 minutos do segundo tempo.

Vitória em Varginha, no estádio Melão, sobre o Boa esporte de Michel Douglas, que não estava em um dia de fúria.

Prejuízo dos prejuízos, Adilson sai de Varginha prestigiado.

O ET bem podia ter dado o ar de sua graça e o tê-lo abduzido, com mais uma meia-dúzia de oito ou nove. Parece que não vai acontecer.

Boas férias e boa Copa, Vascaínos. A gente merece.

abraços

Zeh