Sobre o casaca.com, liberdade de expressão no esporte, manipulação da torcida

Hoje será uma das colunas em que iremos versar sobre um tema bastante explosivo: a liberdade de se opinar sobre o futebol e os limites éticos e opinativos. A demissão de José Trajano ontem pelo canal ESPN nos leva a várias reflexões sobre o direito a escrever eventos como o que se vê e como se vê. E isso dá margem a várias reflexões e distorções dos fatos, de forma a manipular torcedores e a opinião pública. O tema de hoje é o site casaca.com.

Na penúltima coluna aqui escrita, “Erro zero…feliz 2017”, recebemos um comentário em que havia um link direcionado a este site, falando de que a arbitragem “tirou” o Vasco da Copa do Brasil. E aí chegamos ao ponto: o Vasco foi prejudicado pela arbitragem ? Em relação ao gol decisivo sim. Houve falta no Alan Cardoso e impedimento do ponta-esquerda Joel. Mas e o gol que Éderson perdeu antes que nos daria 3 a 1 e uma possível ida aos pênaltis. Então, depende de quem escreve e a sua conveniência. Óbvio que o bom jornalista deve relatar o fato em si, mas se não houver um olhar opinativo, não manipulador, o artigo fica meio sem um sentido maior. E não é de hoje que este bendito casaca.com tenta manipular o torcedor cruzmaltino com bravatas, fatos distorcidos sob a ótica da atual diretoria. E quando aconteceram os erros de arbitragem contra o Vasco em 2011, em jogo ante o Palmeiras que nos custaram os dois pontos a menos que o Corinthians no final ? E na final do estadual de 2014 ? Aonde estava o casaca.com para falar do gol em impedimento do Marcio Araújo ? E agora que o atual mandatário retorna à sua cadeira que considera sua, eles voltam ? Então aí está clara a parcialidade e a falta de isenção deste veículo. Defender claramente um lado não é o ético. Ponto. Isso chama-se manipulação das massas, de acordo com Noam Chomsky.

Sabemos que o futebol desperta paixões. A liberdade de expressão precisa existir; afinal é preciso de um ponto de vista e seu contraditório; senão não existe debate. Mas o site casaca.com não cumpre o seu papel como veículo de informação. Defender o Vasco sim, é válido. Fez isso poucas vezes; mas também deveria debater os erros da atual diretoria. Isso ele não faz. Por que ? É mais fácil botar a culpa no mordomo, na arbitragem do que nos próprios erros. Em particular, neste último rebaixamento não se pode culpar a arbitragem por exemplo, pelos 13 pontos feitos em um turno e as más escolhas, como Celso Roth, que se mostrou um grande equívoco, esse sim determinante para a terceira queda vascaína em 7 anos. Enfim, é isso. Vasco sempre, na alegria e na dor. E aqui dedicamos uma homenagem ao grande jornalista tijucano e ilustre americano José Trajano que levava a ESPN nas costas.

Posted By Ricardo Fortes

4 Comments

Vasco

Caro Ricardo.
Creio que o Sr. não leu minha réplica ao comentário feito sobre minha citação ao referido site. Tratava-se de um pedido sincero de desculpas, pois não houve a intenção de usar a referência para reclamar de arbitragem, mas para levantar uma questão que, julgo, não deve ser ignorada, que é a parcialidade e falta de respeito da imprensa com a instituição que amamos.
Se leu, creio que não tenha entendido a intenção. Não haveria motivo para este artigo. Paz e bem. Grato pelos textos.

Vasco

Em tempo: tenho total sintonia sobre sua opinião sobre o referido site, que se mostra um ardiloso defensor da administração atual.

Ricardo Fortes

Prezado,

Tranquilo. Obrigado pelo força aí. Entendi claro. Quanto a arbitragem, sempre tivemos tradicionalmente problema. Assim foi em 1944, quando os mulambos foram campeões com um gol em que o atacante do Flamengo fez falta no zagueiro; em 1986 quando ganhávamos de 2 a 1 deles na Taça Rio, marcaram um pênalti Mandrake contra a gente e ganharam por 3 a 2; em 2011 que nos prejudicaram em um jogo contra o Palmeiras e perdemos o título para os gambás. Isso já não é hoje. E quanto a imprensa, esquece: o Vasco sempre foi o patinho feio dos clubes do Rio; a mas a nossa grandeza advém exatamente da luta contra tudo e contra todos. Assim somos nós. Um grande abraço

Vasco

Ainda bem que podemos contar com iniciativas como a do Panorama Vascaíno e, dentro dele, reais embaixadores da Cruz de Malta. Muito obrigado pela voz que seus textos tão generosamente nos oferecem. Grande abraço

Leave a Comment

Your email address will not be published. Required fields are marked *