Só Luan Salva

Parodiando alguns pastores (ou pseudopastores – como queiram), mais uma para a conta do Luan. Próximo do apagar das luzes, estava no lugar certo, na hora certa, no escanteio, entre tantos cobrados por Nenê durante o jogo contra o Santa Cruz, e fez o gol que nos salvou do que seria uma derrota que praticamente poderia selar nosso destino na Copa do Brasil. Ao menos, lá no Arruda, se vencermos, passaremos para a próxima fase.

A questão é: quando o escrete cruzmaltino voltará à sua outrora regularidade? Desde que o time perdeu a invencibilidade, segue uma irregularidade difícil de explicar, um perde/ganha, onde mais perde do que ganha. Dominamos o jogo, mas tomamos um gol bobo aos 12 minutos, onde um buraco no lado esquerdo do meio campo proporcionou a entrada, sem marcação, de Bruno Moraes, que ganhou na corrida de Rodrigo e tocou para o fundo do gol: 1 a 0 Santa. E foi assim até os 45 minutos do segundo tempo. O Vasco empilhava oportunidades de gol em série e não marcava, seja pela atuação do goleiro deles, Tiago Cardoso, seja pela ansiedade de empatar o jogo a todo custo. E essa foi a tônica, um Vasco com domínio territorial do jogo e o Santa Cruz com seu time misto, perigoso nos contra-ataques. E foi em um deles que o Santa Cruz marcou seu gol nos primeiros 15 minutos. Como o Vasco não conseguisse empatar logo o jogo, começaram a surgir vaias, principalmente em cima de Julio Cesar e Henrique, este jogando de volante. Mais uma da criatividade infinita de nosso treinador. No intervalo acabaria tirando o jogador.

E agora o personagem do jogo. O nosso representante olímpico, Luan. No geral, teve mais uma boa atuação. Mas no gol do Santa falhou, por deixar um buraco na zaga. Embora a jogada tenha sido em cima do Rodrigo, poderia ter feito a cobertura. No mais, tirou as bolas pelo seu lado e marcou o gol que salvou o escrete vascaíno de um revés que, se consumado, traria prejuízo enorme na Copa do Brasil. Ao menos este gol nos deu a chance de, se vencermos lá, ficarmos com a vaga. Com este gol, Luan superou Rafael Vaz no rol dos zagueiros artilheiros. Ele e Nenê, que cobrou o escanteio, salvaram a nau vascaína mais uma vez. Agora ele se apresentará à seleção olímpica, onde tentará trazer o ouro. Boa sorte a nosso zagueiro.

Mas agora, o Vasco precisa recuperar sua regularidade. Do contrário, na quarta-feira que vem, volta do Arruda sem a vaga na Copa do Brasil. E estaremos sem nosso salvador. Esperamos que o Vasco possa voltar a ser aquele time de pegada forte que ficou 34 jogos invicto. A conferir.