Sim, eu devo ser mesmo burro

A terrível situação política do Vasco, que desespera a milhões de vascaínos mundo afora, diz respeito, infelizmente, a menos de cinco mil pessoas.

São os sócios aptos a votar.

Os demais vascaínos são passageiros da decisão dessa meia-dúzia, quando das eleições. Embora não vote, o torcedor comum precisa ser informado do que se passa em São Januário. Ele pode não votar, mas ser amigo, vizinho, parente de algum eleitor e exercer sua influência na hora da verdade. Mas ao contrário de um eleitor, que vota para presidente, governador, prefeito, senador, deputado federal, estadual e vereador, ele nada pode fazer e, por essa razão, – sejamos claros – não tem interesse em conhecer os subterrâneos financeiros ou administrativos do Vasco.

O torcedor quer saber de jogador. Quer ver time de futebol e de basquete. E se vê o time fazendo vergonhas em campo, ele quer saber o porquê daquilo estar acontecendo.

Então, é preciso escrever para esse torcedor.

O que se vê hoje em dia nas redes antissociais do Vasco é exatamente o contrário disso. Escreve-se para os associados e dane-se o torcedor. O mais incrível dessa atitude é que provavelmente uma parcela ínfima de sócios leia o que é escrito diretamente para eles.

Essa fotografia é um infeliz exemplo disso. Ela é tirada de um post da página “Reage Vasco, Fora Eurico”, do facebook. Ela pergunta se o Vascaíno (eu, você, minha mulher, pai, filha de sete anos)  é burro. Acontece que, se alguém te pergunta: “você é burro?”, está usando de ironia e já o está chamando de burro.

Será que alguém é burro o suficiente para ser convencido de sua burrice ao ler esse post e mudar de ideia? Será que o eleitor do Eurico vai subitamente perceber o quanto está errado ao apoiar essa gestão catastrófica ao ler essa pergunta? Ou a raiva que vai sentir ao ser chamado de burro vai reforçar o apoio ao Eurico?

E o vascaíno comum, que não tem nada com isso? O que que ele vai entender disso?

Alguns posts carecem tanto de inteligência, que parecem ser postados da antessala da presidência…

Precisamos, para ontem, de uma mudança radical de discurso. Que as pessoas entendam de uma vez por todas que estamos todos no mesmo barco e que só um diálogo verdadeiro vai surtir efeito. Xingar ou ofender quem pensa diferente da gente não vai fazer com que consigamos a mudança que buscamos. Pelo contrário: é campanha gratuita para a situação.

Chega de intolerância. Arrumem por favor outra forma de descarregar suas frustrações. Ou, caso isso seja pedir demais, parem de escrever.

O Vasco agradece.

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *

 me restam!