Série B. Uma provável realidade ?

A derrota para o Fortaleza, bem como a derrota de hoje, podem ter selado o destino cruzmaltino no Brasileiro de 2020. Ainda não se pode cravar matematicamente o Vasco na série B. Mas o jogo contra os gambás na próxima rodada, bem como o contra o Goiás na última rodada, poderão ser verdadeiras batalhas campais. Porém, o espírito do elenco e a dificuldade de criar chances de gol levam aos torcedores não acreditarem mais no time. O Internacional só precisou dos 10 primeiros minutos e dos últimos 5 minutos para fazer o resultado. No restante, ficaram recuados, esperando o Vasco vir e aí ficou comprovada a dificuldade crônica do time de criar jogadas. E aí, é crucial isso: como tentar vencer os jogos, se sequer o time cria chances de gol ? E aí,é que reside a uma queda muito provável para a Série B.

O Internacional veio para resolver logo nos primeiros minutos. E teve 3 chances nos primeiros 10 minutos, aos 3, com Caio Vidal, aos 5 com Yuri Alberto e aos 9, com boas defesas de Fernando Miguel, marcaram com Rodrigo Dourado, em uma falta cobrada por Moisés, da esquerda, e subiu mais do que Carlinhos para cabecear. Lance em que o VAR estava descalibrado para avaliar um possível impedimento. O Internacional ainda teve uma chance com Yuri Alberto, aos 19 minutos com boa defesa de Fernando Miguel. Após esse lance, o Internacional recuou, chamando o Vasco para seu campo e este nada fez. Não houve uma chance sequer do Vasco, no primeiro tempo.

No segundo tempo, o Vasco veio pressionando mais, mas com pouca efetividade. A única defesa de Marcelo Lomba, em todo o jogo, foi um chute de Talles Magno aos 11 minutos. Mas, aos 36, surgiu a chance do empate: em jogada confusa com Rodrigo Dourado, o braço de Victor Cuesta toca nas costas de Cano, porém embaixo, Cano tropeça nas pernas do marcador. Pelo sim, pelo não, pênalti marcado. E Cano chuta para fora…… Aí morreram as chances de um resultado melhor, o Internacional, praticamente todo recolhido, no 40 minutos finais, se aproveita do estado emocional ruim da perda do pênalti e em dois ataques resolve o jogo: em um aos 45 minutos, duas defesas de Fernando Miguel em chutes de Peglow e Thiago Galhardo; e aos 50, Edenilson veio avançando como quis pelo meio, passando facilmente por um cabisbaixo Leo Gil, tocando para Peglow e este rola para Thiago Galhardo só chapar e tocar no canto esquerdo de Fernando Miguel, dando os números finais.

Com mais uma derrota, o combalido time cruzmaltino tem duas partidas a realizar para evitar o rebaixamento: Corinthians, domingo que vem e Goiás, no outro domingo. Pela dramaticidade do atual momento, e pelo espírito emocional do elenco, é dificil acreditar em uma reversão do quadro. Se o Bahia vence na próxima rodada e o Vasco não vencer o Corinthians, o clube já entrará rebaixado na última rodada. Possivelmente, o Bahia não vencerá o Fortaleza; o problema é o Vasco fazer sua parte, dada a incompetência da meiuca em criar chance de gol e os jogadores em frangalhos emocionais. Muito dificil o momento cruzmaltino. A verdade é essa.