Semifinal e nossos problemas internos

E hoje, os flores sapecaram 3 a 0 no Botafogo, que outro dia nos ganhou de 3 a 2 de virada.  Seria cômico se não fosse trágico.  Mas o que é no mínimo preocupante, é os nossos adversários terem ganho do Botinha com certa folga. Estaremos sem Henrique, hoje nosso melhor jogador defensivo e seu substituto, Fabrício, entregou 2 dos 3 gols que tomamos do Botafogo, Ou seja, não temos defesa. Receita para um desastre anunciado.  Só que temos uma arma: a escrita contra eles.

Ao olharmos time por time, há um equilíbrio. Porém, eles estão com um bom esquema defensivo e isso tem feito a diferença. Eles não tomam gols a granel , como temos tomado.  Então, essa é uma vantagem. Logo, é preciso que pensemos em uma forma de arrumar nosso sistema defensivo.  Tomarmos um gol e ficarmos atrás será uma tragédia.   E certamente a solução para isso não é a zaga Paulão e Erazo. E o problema na lateral esquerda torna-se um drama, tendo em vista que Fabrício não vem jogando nada.  Sendo assim, teremos uma defesa remendada ante um time rápido. Só nos resta torcer…. e muito.

Com relação a nosso clube, fora de campo, o elenco recebeu o salário de fevereiro; ainda faltam dezembro, janeiro e direitos de imagem. A gestão dos Mirandas, no afã de prejudicar Julio Brant, deu um tiro em nosso clube, ao deixar o mesmo em situação dificil. Só que quem assumiu não foi Brant, e o atual, Alexandre Campello está em maus lençóis.  Tendo em vista a situaçào financeira calamitosa e a sombra dos Mirandas no Conselho de Beneméritos, temos um clube que segue em disputas políticas fratricidas, ainda que os Mirandas não estejam no centro do poder, mas nas sombras. O imbroglio da divulgação do balanço financeiro que Eurico queria fazer, não será assim, pois Campello contratou uma auditoria e ainda por cima demitiu o contador Miguel Vaz, ligado aos Mirandas. Sinal de que em breve, teremos uma bomba prestes a explodir.  Ou não. Seguem cenas dos próximos passos.

E a exemplo do América, que caiu para a Série B novamente este ano, Deus salve o Vasco.  É o que humildemente a nação cruzmaltina pede. E não só contra os flores; também contra o Cruzeiro e o Racing pela Liberta.