Responsável, não culpado

Deprimente, sob todos os aspectos, a entrevista do Presidente do Vasco, Eurico Miranda. Confrontado com suas fanfarronices, Eurico justificou como motivadoras as frases que proferiu durante todo o ano e pôs na conta de Dinamite a maioria dos seriíssimos problemas que encaramos neste ano.

A torcida do Vasco não merecia mais este espetáculo de arrogância e pedantismo. Durante quase uma hora, uma imprensa amedrontada perguntou obviedades para o Rei-Sol e lhe deu a oportunidade de exibir-se ante as câmeras. As respostas satisfizeram apenas os seguidores da religião.

O ápice: Eurico disse que a responsabilidade do rebaixamento do Vasco é dele. Mas não a culpa. (Que ele atira para a gestão Dinamite)

Fui ao Aurélio para buscar as definições das duas palavras.

Culpa:
1 – Conduta negligente ou imprudente, sem propósito de lesar, mas da qual proveio dano ou ofensa a outrem;
2 – Falta involuntária a uma obrigação, ou a um princípio ético;
3 – Delito, crime, falta;
4 – Transgressão de preceito religioso; pecado;
5 – Responsabilidade por ação ou por omissão prejudicial.

Responsabilidade:
1 – Qualidade ou condição de responsável
Responsável:
1 – Que responde pelos próprios atos ou de outrem;
2 – Que responde legal ou moralmente pela vida, pelo bem-estar etc;
3 – Que tem noção exata de responsabilidade, que se responsabiliza pelos seus atos, que não é iresponsável;
4 – Que dá lugar a, que é causa de (algo);
5 – Pessoa responsável (por alguma coisa ou alguém);
6 – Indivíduo faltoso; culpado;

Ou seja, neste jogo de palavras (engolido pela imprensa despreparada), Eurico tentou se eximir da culpa do rebaixamento, se dizendo apenas o responsável pela desgraça. Infelizmente para ele, lá no finalzinho da definição do Aurélio, as palavras se tornam sinônimas.

Um constrangimento totalmente desnecessário para os Vascaínos. Mais um motivo de deboche pros demais.

Testemunhei aquilo torcendo para que acabasse sem maiores consequências. Sem viradas de mesa, brechas em regulamentos. Aparentemente foi assim que acabou. Mas infelizmente estava tudo ali. As bravatas, as pausas para suspense, o olhar superior. O pior é a subserviência e o medo com os quais é tratado pelos jornalistas.

Não há mudanças no horizonte. Continuaremos no fundo do poço, cavando mais um pouco. Talvez cheguemos a Tóquio, não para disputar o mundial, mas por conta do tamanho do buraco em que nos metemos.

/+/

No dia sete de dezembro de 2013, Flamengo e Cruzeiro faziam, no Maracanã, uma partida isolada da última rodada do Campeonato Brasileiro. Ambos cumpriam tabela, pois habitavam o meio da classificação. Este jogo de final de campeonato, sem qualquer interesse, virou pivô de um dos maiores escândalos do futebol brasileiro. O Flamengo escalou um jogador suspenso – André Santos – e como punição perderia quatro pontos, o que permitiria ao Vasco rebaixar o Flamengo se ganhasse o seu jogo contra o Atlético Paranaense, no dia seguinte. No dia seguinte, numa coincidência única na história do futebol mundial, a Portuguesa de Desportos, o único clube (tirando os arquirivais Vasco e Fluminense) que poderia salvar o Flamengo do descenso pela pontuação que ocupava na tabela, cometeu o mesmo errinho do Flamengo, escalando Héverton irregularmente.

Imagine jogar em Joinville sabendo desse fato. O Vasco, praticamente rebaixado, poderia não só se salvar, mas rebaixar o Flamengo em seu lugar.

Ninguém ficou sabendo disso. Apesar de amplamente noticiada na sexta-feira dia 6 e no próprio sábado, dia 7, ninguém, de nenhum veículo de comunicação, percebeu que o Flamengo havia escalado um jogador suspenso. Tal esquecimento durou dois inacreditáveis dias. Não há menções a André Santos até a terça-feira, dia 10, quando explodiu a notícia da escalação irrregular de Héverton. Ai, no subtítulo, ressurgiu André Santos.

Se você quiser comprovar isso, faça o seguinte:

Busque “André Santos” (com as aspas) no google.

Quando aparecerem os resultados, clique no botão cinza “ferramentas de pesquisa”.
Vão aparecer caixas embaixo do botão.
Clique em “em qualquer data”.
Escolha “intervalo personalizado”: de 08/12/2013 a 09/12/2013 (o domingo da rodada e a segunda seguinte).

Você verá que não há nenhuma matéria citando a irregularidade. Nenhum jornalista esportivo do Rio de Janeiro percebeu. Nem os que escreveram as matérias na sexta e sábado anteriores. Por quarenta e oito horas.

Agora repita a pesquisa, trocando para a terça-feira, 10/12/2013. Pois é. Todo mundo lembrou.

Há nessa história toda dois escândalos juntos.

O primeiro é o da incrível coincidência das escalações irregulares.

O segundo é o comportamento da imprensa. Quarenta e oito horas de total silêncio sobre um fato público que teria influência gigante nos jogos daquele fatídico domingo. Imagine: “Vasco pode rebaixar Flamengo se vencer hoje”. Mas, claro, você não viu esse texto. Ninguém viu.

Por isso, aquela barbárie em Joinville tinha de terminar a qualquer custo. Adiar o jogo do Vasco era dar mais tempo para que esse fato surgisse.

As coisas se encaixam.

O ministério público de SP, que investigou o fato, afirmou que houve corrupção na escalação de Héverton pela Portuguesa.

Mas há muitas perguntas sem resposta:

  • Quem escalou André Santos?
  • Quem corrompeu a Portuguesa?
  • Quem coordenou o silêncio de toda a imprensa sobre André Santos por inacreditáveis 48 horas?

Fomos pivôs dessa história sem saber.

Pablo Armero está ai, desaparecido do time e da mídia. Ninguém investiga.

abraços

Zeh

Posted By administrador

17 Comments

Tito Lemos

Caro Zeh,
O buraco é bem mais embaixo, eu sou policial militar no Distrito Federal desde de 1991, sempre escutei a conversa de que a Polícia Militar não deveria fazer a segurança dentro dos estádios, uma vez que é um evento de interesse particular, porém isso nunca foi levado a sério, porque então em um jogo lá em joinville resolveram não colocar a Polícia Militar na segurança?

Tito Lemos

E porque não falaram a verdade que apesar de agir com violência, a torcida do VASCO na verdade usou da força necessária para se defender?
E o que se decidiam naquela uma hora de paralisação do jogo entre Vasco e atlético Paranaense?
Será que estavam esperando o flu ganhar ou perder para tomarem a melhor decisão pró flamengo?
Como continuar torcendo?

Mário MERIKA Costa

O jogo já foi em Joinville porque o Atlético estava cumprindo suspensão!

Tito Lemos

Sim, foi por causa da punição ao atlético PR, mas por que a falta de policiamento dentro do estádio? A quem interessava toda aquela confusão?

administrador

Olá Tito,

Muitíssimo obrigado pela leitura e pelos comentários.
Nesses dois anos, eu e o Paulo Andel persistimos acompanhando esse assunto.
Temos a certeza de que há muita coisa por trás desses dias, e que um dos pontos centrais dessa história escabrosa é Joinville.
Um dia a verdade plena vai aparecer.
Grande abraço!

Marcio-Goiás

Difícil torcer hoje em dia, é muita malandragem, mas tudo se explica: O Brasil não é o país dos malandros, nada anormal. Abraços.

Eduardo

Quatorze pontos foram retirados do Vasco pelas arbitragens. Por outro lado vários pontos foram dados aos nossos adversários pelos homens do apito. Os “erros” contra Vasco não foram gols marcados por jogadores impedidos por poucos centímetros. Não foram gols levados através de impedimentos mal marcados. Nada disso. Foram “erros” inacreditáveis e inaceitáveis. O Vasco foi disparado ao mais prejudicado. Disparado. Não há discussão. Cobranças devem ser feitas à direção, sem dúvida. Não discordo

Eduardo

Até mesmo se o Vasco tivesse sido campeão deveríamos cobrar qualquer equívoco ou burrada da diretoria. Mas e as arbitragens. A imprensa diz que a culpa é mil por cento do Eurico. Para ela os “erros” das arbitragens são normais e acontecem igualmente para todos os clubes. É mesmo? É isso que NÓS VASCAÍNOS VEMOS ACONTECER? Os “critérios” adotados para inclusão de árbitros nos sorteios são aceitáveis? As repetidas escalações de árbitros e bandeiras que teimam em “errar” sempre contra o Vasco

Eduardo

são normais? Que sorteios são esses que são feitos com apenas três ou até mesmo com APENAS DOIS ÁRBITROS?!? Que tipo de sorteio é esse que fez com que o mesmo árbitro que nos tirou dois pontos no jogo do turno contra o flamengo em 2011 fosse novamente “sorteado” no jogo do returno tirando mais dois pontos do Vasco? Coincidência? O que aconteceu neste ano com o Vasco superou tudo o que foi visto antes. Quem achava que os pontos corridos diminuiriam o impacto de más arbitragens na classificação

Eduardo

final do campeonato continua pensando a mesma coisa? O nível astronômico do ROUBO contra o Vasco em 2015 deveria fazer disparar todos os alarmes dos torcedores do Vasco. Esses canalhas que comandam o futebol demonstraram não ter nenhum limite, nenhuma decência e nenhum temor. Mas a maior parte da torcida resolveu concordar com a imprensa e culpar a diretoria do Vasco INTEGRALMENTE pelo rebaixamento. E eu então me pergunto: O que devem estar pensando os canalhas que produziram essa roubalheira

Eduardo

contra o Vasco? Será que eles não estão pensando que podem nos roubar mais e mais sem que a torcida faça nada a respeito? Será que eles não estarão pensando que é muito fácil roubar o Vasco pois a sua torcida tem sempre o mesmo bode expiatório para culpar? Em nome de divergências políticas vale a pena fechar os olhos para o que aconteceu nesse campeonato? O ódio ao Eurico deve suplantar tudo? Não será o dito “euriquismo” um fenômeno de mão dupla? Será que são só os “euriquistas” que colocam

Eduardo

o Eurico acima de tudo? Será que os anti-Eurico não padecem do mesmo mal? Será que essa turma é incapaz de pensar o Vasco sem procurar sempre o que é pior para o Eurico? Odiei cada minuto da administração Dinamite mas isso não me impediu nem por um minuto de creditar às arbitragens a perda do título do brasileiro de 2011. O Dinamite errou ao contratar o Cristóvão para o lugar do Ricardo Gomes? É claro? teríamos sido campeões com outro treinado, apesar dos prejuízos da arbitragens. Tenho certeza

Eduardo

disso. Mas e daí? Erros e burradas podem acontecer. O que não pode acontecer é ver um time deixar de ser campeão ou ser rebaixado por motivos escusos, através de armações ou arbitragens inescrupulosas. O Vasco perdeu em 2011 por causa das arbitragens. O Vasco foi rebaixado em 2015 por causa das arbitragens. Que o Dinamite e o Eurico sejam cobrados e xingados pelos erros cometidos nos dois campeonatos. É justo. Mas eu me recuso a fechar os olhos para o que foi feito ao nosso querido clube

Robson Dias

Boa noite. saudações vascaínas a todos.

Mais uma coisa sempre me intrigou..: A mídia caiu em cima dizendo que o Flu foi o grande beneficiado com a escalação irregular de Ewerton. Dizendo que, se alguém pagou pra ele jogar, esse alguém foi o fluminense.

Porque o fluminense se calou? porque o flu não veio à publico colocar os pingos nos “is” e esclarecer, de maneira inequívoca, que todo esse imbróglio tinha a ver com a farsa chamada flamengo???

administrador

Robson,
No meu texto eu não faço nenhuma afirmação com base em suposições.
Só me atenho aos fatos.
Como afirmar que foi o império do mal?
abraços

Robson Dias

porque o fluminense perdeu a oportunidade de desmascarar o protegido dos Marinhos???

sinceramente não entendo…

Mário MERIKA Costa

Muita pressão para que essa história não venha a tona!!!
Tudo muito obscuro!!!

Leave a Comment

Your email address will not be published. Required fields are marked *