Quem não faz….

O Vasco mais uma vez não fez uma boa partida. Mas o empate ontem em 1 a 1 com o Coritiba, ainda que tenha sido justo, ocorreu porque antes de sofrer o empate perdeu duas boas chances. E acabou punido por um gol meio espírita. Enfim, perdemos dois pontos para um dos piores times da competição. E agora, sábado enfrentaremos os mulambos, precisando vencer para, enfim chegarmos aos 46 pontos. Essa é a motivação que devemos ter, se é que ainda teremos alguma motivação mais adiante.

Pelo fato de jogarmos diante de 30000 torcedores, fomos para cima do alviverde paranaense. Porém, nenhuma chance concreta criada. Porém, aos 15 minutos, escanteio na ponta direita. Nenê cobra com efeito e Mateus Galdezani, na tentativa de colocar a bola para outro escanteio, acaba fazendo um belo gol. Só que contra e abre o placar para o Vasco. Bem que Nenê tentou convencer a arbitragem, alegando que a bola apenas bateu na cabeça de Galdezani; não sabemos se a bola entraria direto, mas o fato é que Galdezani realmente cabeceou contra o próprio gol. Após o gol, ao invés de tentarmos matar o jogo, resolveu-se dar a bola para o Coxa. E o jogo se arrastou até o final do primeiro tempo com ambas as equipe errando muito e nenhuma chance clara de gol criada.

No segundo tempo, o Vasco veio da mesma forma que nos primeiros quinze minutos de jogo. Só que dessa vez duas boas chances. Aos 5 minutos, Pikachu cruza da direita; Andres Rios domina, tenta driblar Wilson, mas este consegue defender e na sobra Wellington pega e chuta forte para boa defesa de Wilson. Aos 13, Mateus Vital pega uma sobra da defesa paranaense e manda uma bomba de fora da área para Wilson espalmar para escanteio. Mas como diz Murici, a bola pune. E, a exemplo do jogo contra a Chape, a bola pune Wellington pelo gol perdido no início do segundo tempo. Em uma jogada pela meia direita, aos 21 minutos, Rildo, o melhor jogador do Coxa na partida, pega a bola, deixa Jean sentado (putz!) e arremata de esquerda; Breno ainda coloca o ombro para tentar colocar a bola para escanteio, mas a bola desvia e tira Martin Silva de jogada, decretando o empate em 1 a 1. Depois do gol, o Coritiba se fecha para jogar nos contra-ataques e o Vasco tenta o gol de forma atablhoada. Zé Ricardo tira Rios, Pikachu e Mateus Vital para botar Thales, Guilherme Costa e Paulo Vítor. Em vão. Paulo Vítor e Guilherme Costa só correria e Thales ainda cruzou uma bola para a área. Não mais do que isso. E para piorar mais a situação, Breno faz falta na intermediária, reclama acintosamente do juiz e é expulso. O Vasco termina o jogo com 10 e, nos acréscimos, o Coxa se aproveita e Carleto cruza para cabeçada de Henrique Almeida para fora.

Em suma, perdemos dois pontos para um candidato ao Z4. Aos que ainda falam rumo a Libertadores, se for para perdermos pontos como foi para o Coritiba em casa, melhor esquecer isso. De fato, melhoramos a defesa. Mas temos um ataque de riso, a verdade é essa. Com os gols perdidos por Wellington e Vital, mais uma vez jogamos 2 pontos fora. Por outro lado, ao analisarmos nossa equipe, temos 43 pontos, faltam 3, 4 para ficarmos na Série A. Para ficar de bom tamanho, a Sul Americana seria o mais justo para nossa brava, mas limitada equipe.

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *