Pessoa errada, no lugar errado.

Eu particularmente não tenho nada contra o Sr. Cristóvão Borges (antes que algum mais afoito por aí me acuse de preconceituoso ou racista – logo eu que sou vascaíno!!), mas tenho absolutamente tudo contra essa opção profissional que ele fez para si. Ele simplesmente não é técnico de futebol. Seus números falam por si.

Seu desempenho não chega a 54% como técnico em todos os clubes por onde passou. E olha que ele só treinou clubes grandes: Vasco, Bahia, Fluminense, Flamengo, Atlético-PR, Corinthians e agora, no Vasco novamente.

De todos clubes por onde passou, saiu debaixo de muitas críticas. Nenhum título conquistado em nenhum desses clubes. Aliás, somente na sua primeira passagem pelo Vasco, quando assumiu a vaga deixada por Ricardo Gomes devido a problemas de saúde, e pegou um grupo vencedor e campeão da Copa do Brasil, ele ganhou seu único título até agora: melhor treinador do Campeonato Brasileiro de 2011…

Nos últimos dez clássicos que disputou, perdeu nove! Vejam bem: eu disse NOVE DERROTAS, e não cinco derrotas e quatro empates por exemplo…

Nesse ano de 2017, justamente um ano em que precisamos voltar a nos firmar como um time de série A, ele não venceu nenhum dos quatro jogos contra times da primeira divisão do Campeonato Brasileiro até agora. Perdeu para Corinthians, Fluminense, Flamengo e empatou com o Vitória.

Os números são decisivos e falam por si só.

Até o acho uma boa pessoa, mas infelizmente ele fez uma escolha errada para a sua vida. Acontece. Ele deveria urgentemente procurar outra profissão.

Cabe também dizer que não é só dele a culpa, afinal ele não se empregou no Vasco porque quis.

Essa diretoria o contratou – algo que sequer deveria ser aventado, lhe deu uma “meia” pré-temporada – interrompida pela tal Florida Cup, efetuou contrações à rodo somente após a primeira derrota na Taça Guanabara para o Fluminense e agora, de maneira absolutamente teimosa, o mantém apesar de tudo.

Conhecemos bem o “messias” e sabemos que quanto mais se falar dele, mais ele o manterá. Algo muito semelhante ao que vimos em 2015 na contração e manutenção do Celso Roth à frente da equipe até quando somente um milagre nos salvaria, o que infelizmente não aconteceu.

Para piorar, “ele” vem a público para falar a enorme besteira que o Cristóvao sofre preconceito no Vasco. Inacreditável! Só revela a senilidade de quem já foi muito útil ao clube e hoje se arrasta no poder. Se isso é verdade, no mínimo “ele” como presidente do clube que se consagrou exatamente por ajudar a acabar com o elitismo no futebol, deveria imediatamente extirpar quem faz isso.

Mas todos sabemos que isso não se trata da verdade, mas sim de mais uma de suas inúmeras bravatas. Mas uma de suas inúmeras frases que só servem para desviar o foco e justificar suas ações baseadas num ego muito maior que sua enorme pança.

Ou seja, tenham poucas esperanças de que o “capo” vá trocar o nosso técnico enquanto ainda há tempo para alguma coisa no Campeonato Carioca ou na Copa do Brasil.

Confesso: nunca fui muito a favor da contratação de Luiz Fabiano. Contratação que aliás se tornou uma novela mexicana!

Não tenho muitas esperanças num grande jogador que foi (assim, com o verbo no passado) pelos clubes onde passou e hoje com 36 anos, e que volta com status de “salvador da pátria”.

Espero sinceramente queimar a minha língua, mas sua contração não me empolga nem um pouco.

E na sua estreia ao menos paramos de ver aqueles chutões que eram dados para o Thalles se virar no meio dos zagueiros adversários tomando bordoada de tudo que lado…

Ele jogou ali… Paradão… Esperando que um ou outro cruzamento fosse certo para ele fazer o gol, e quase fez em duas oportunidades.

De resto o Vasco foi um bando. Sem jogadas, com jogadores mal escalados, em diferentes níveis de preparação…

Do Gilberto, ouvi hoje no Engenhão: “Ele parece um Madson sem velocidade…”. Muito mal no apoio e pior ainda na marcação. Eu não sei como o Pikachu ainda não pediu o boné e se mandou para outro clube qualquer… Ser barrado anos pelo Madson e agora pelo Gilberto…

Do Jomar, ouvi: “Jomar é igual a um “Kinder Ovo”: cheio de surpresas…”. Capaz de uma jogada boa num momento, e uma pixotada nos minutos seguintes. Nunca sabemos qual será a versão que veremos.

Wagner foi uma completa nulidade em campo. Quase não foi notado. Como barrar o garoto Guilherme para ele jogar? Como barrar o Andrezinho para ele jogar?

Douglas cada vez mais mostrando a todos que seu lugar não é como volante, mas sim como meia armador. E eu ainda ouço que nosso treinador tem testado o Julio dos Santos na… zaga!!!

E o resto jogando como se fosse uma pelada de fim de semana.

Conseguimos a proeza de tomar o primeiro gol do Macaé no campeonato. De empatarmos com o pior time até agora do Campeonato Carioca.

Parabéns Cristóvão! Parabéns Eurico!

Faltam 46 pontos para o nosso título nesse ano.