Obrigação

Cerca de 50 mil Vascaínos testemunharam ontem à tarde a volta do Vasco ao Maracanã. Num jogo tenebroso, o Vasco conseguiu cumprir sua obrigação e vencer, a duras penas, um adversário mal-colocado na tabela da série B, mas que teria causado muitas dores de cabeça não fosse a grande sorte no lance que definiu a partida.

O que acontece em campo na atual conjuntura pouco importa.

O Vasco é como um maratonista mal preparado que chegou aos 40 km da corrida e que pretende, na base do vamos lá, se arrastar de alguma forma até a linha de chegada. Pode ter uma cãimbra, uma síncope, e ficar pelo caminho. Não há mais nenhuma técnica, nenhuma intervenção a fazer. Os de fora batem palma e incentivam como podem. O corredor segue adiante.

Até quando der. Parece que vai chegar. Tempo e orações dirão.

*****

Na semana passada estive na Convenção Final de Julio Brant, no Tijuca Tenis Clube. Entre pontos positivos e negativos, lamentei profundamente não poder estar em dois lugares ao mesmo tempo. Péssimo que as convenções dos dois principais candidatos à presidência do Vasco acontecessem simultaneamente, a alguns quilômetros de distância uma da outra. Gostaria muitíssimo de ter visto o que Eurico tinha a dizer.

Não me foi possível. Posto então um vídeo meu – perdão pelas imperfeições – da parte mais importante e reveladora do discurso do Edmundo e do Felipe. Quem não viu, veja. Fundamental.

*****

No dia seguinte às convenções, a repercussão na imprensa era… nenhuma!

A única cena mostrada nas tvs no dia seguinte era a da briga na rua em frente à convenção de Eurico Miranda.

Não havia nenhuma equipe de tv na convenção. Nem Sportv, nem Fox, nem ESPN, Globo ou qualquer das emissoras abertas. Zero câmeras.

Prova do quanto estamos na lona. Convenção do principal candidato de oposição à presidência de um dos maiores clubes da cidade. Isso é notícia. Isso tinha de ser notícia. Mas não foi.

Falta de assessoria de imprensa? Certamente. Falta de interesse no Vasco? Também.

Mas acho inacreditável que o rival de Eurico Miranda, odiado pela imprensa, não aproveite a natural rejeição do oponente para ocupar a grande mídia e se fazer conhecido por muito mais vascaínos. Se eu não tivesse tido a oportunidade de estar em duas dessas reuniões, eu não saberia praticamente nada sobre o candidato.

Agora, como no campeonato, é tarde. Muito tarde.

Ironia do destino, a eleição cai numa terça-feira, dia de rodada de 2a divisão.

Que Deus nos ajude dentro e fora de campo. Amém.