O z4 e as eleições

Essa é uma das colunas mais difíceis de serem escritas nos últimos 5 anos, desde que essa coluna começou em 2015. O Vasco novamente voltou ao Z4, com a derrota para o Palmeiras por 1 a 0. Mas essa derrota fica em segundo plano diante dos lamentáveis episódios ocorridos na noite da sábado em SJ.

O jogo foi muito ruim num todo. No primeiro tempo, não houve chances de gol. O Vasco se propôs a se defender e evitar a investidas do time paulista e conseguiu, dessa forma, isso até os 25 minutos. No primeiro tempo, o jogo foi horroroso, sem chances de gol.

No segundo tempo, o Palmeiras veio mais disposto a atacar e aos 8 minutos, Roni apareceu por trás da defesa e chutou para boa defesa de Fernando Miguel 2 minutos depois, foi a vez de Cano ter a chance e Weverton defende. Aos 15 minutos, Matias Viña cruza, Neto Borges é encoberto pela bola e Gabriel Menino cabeceia e Fernando Miguel defende. E Neto Borges novamente entra em ação aos 25 minutos, e faz uma lambança, determinante para a derrota, cometendo um pênalti ridículo em Lucas Lima. Simplesmente bisonho. Luiz Adriano bate, Fernando Miguel consegue defender, mas na volta, o mesmo Luiz Adriano é mais rápido e marca o gol da vitória palmeirense. Após o gol, o jogo caiu de ritno e aos 45 minutos, Gustavo Torres, que estreou, tenta emendar, mas Weverton defende e fica por isso mesmo.

Em relação às eleições cruzmaltinas de sábado. É dificil falar sobre tudo o que aconteceu ontem. Tudo começou com uma liminar de sexta feira, impetrado pelo candidato Leven Siano para as eleições serem ontem. Os candidatos já tinham acordado para as eleições serem dia 14, de forma híbrida. Mas, Leven siano, com a ajuda de Roberto Monteiro, impetraram a liminar para as eleições serem no dia de onte. O clube teve que ser preparado às pressas, pois já se tinha o acordo para as eleições serem dia 14. E o que se viu ontem foram balbúrdias, confusões, brigas entre as chapas, agressão s Luiz Manuel Fernandes, discussão áspera entre Leven Siano e Campello. E nessa eleição tumultuada, Leven Siano venceu, mas é óbvio que essa decisão beneficiou Leven, porque as outras chapas não estavam preparadas em condições de isonomia. Há uma polêmica em que originalmente, a eleição estava marcada para o dia 7, mas a questão de pandemia, protocolos sanitários não foram respeitados. Logo, esta eleição não deveria ter sido realizada, a verdade é essa. Uma confusão só. Lamentável sob todos os aspectos, os fatos de ontem. E não podemos deixar de mencionar o discurso arrogante do candidato vitorioso. E agora, com a liminar do STJ, anulando o pleito, resta aguardar os próximos capítulos dessa lambança de ontem. Só quem perde com isso é o VASCO DA GAMA.