O time da virada

O cariocão já está na terceira rodada e parece que ainda não engrenou.

O papo no bar e nas rodas ainda anda em 2016. Espera de reforços. Nada demais.

Ontem foi dia de Superbowl, o que dominou as redes sociais e a conversa de quem acompanha esportes e curte, como eu (desde 1990) o futebol da bola oval. Um dos times mais vencedores de todos os tempos ganhou seu quinto título em um jogo de vitória improvável. Levava uma sova equivalente a uns 3×0, no futebol. Empatou no finalzinho e virou na prorrogação por 4×3. Claro que a pontuação não é essa, mas lembrando o Time da Colina, essa vitória foi o tal jogo da virada de sua história.

Nesse mesmo dia, o Vasco venceu virada, também.

Claro que não foi nenhuma decisão. O time foi o Resende, que para nossa preocupação, começou abrindo o placar. E em um desses acasos, uma das promessas desse ano marcou seu primeiro gol.

Escudero empatou e Thales (sempre ele) virou o jogo. E só.

Dois jogos seguidos, duas vitórias. Pode parecer bom (e é), mas como dito antes, a pré-temporada acabou. Agora a coisa é séria e para ganhar de times com menos tradição, não deveríamos ter tanto sofrimento.

Não há grandes promessas, só as que supostamente há condições financeiras para manter. O negócio é confiar na juventude para se formar uma boa base, ter regularidade, cabeça feita e seguir em frente.

Esse será um longo ano e a menos que o farol amarelo não seja ligado e visto desde já (já deveria estar aceso desde o fim do ano passado), não precisaremos de viradas para vencer.

E só o terceiro jogo, mas já foi o terceiro jogo. Bora acordar, antes que a bola fique oval.