O quarto rebaixamento e o drama cruzmaltino

Quinta feira, 25 de fevereiro de 2021. Vasco sai na frente, toma a virada, e em seguida vira novamente, com 2 gols de Ricardo Graça. Mesmo com essa virada épica, de nada adiantou. O Fortaleza tinha um saldo melhor e permaneceu na Série A. Quarto rebaixamento e agora ? E o futuro ?

A sensação que fica do último jogo é que o Vasco poderia mais, poderia ter evitado o rebaixamento à Série B. Em partidas, como a contra o Fortaleza, por exemplo, o time entrou como se estivesse em um drive in. A verdade é que o time podia mais. Só que tinha que se esforçar mais. Mas o rebaixamento está consumado. Pelo menos até o STDJ se pronunciar sobre o recurso para anulação da partida contra o Internacional de Porto Alegre, que por ironia, perdeu o título para os urubus por conta de decisões polêmicas das Arbtitragens com o VAR.

Além desses problemas no campo, existe um outro ainda pior: a luta fratricida entre os próprios cruzmaltinos. Com uma infinidade de grupos políticos, o Vasco é uma colcha de retalhos. E desde 2001, com a posse de Eurico Miranda, existe uma briga velada entre os dirigentes. Hoje, o maior rival do Vasco é o próprio Vasco. E essa é a raiz dos problemas cruzmaltinos, desde 2001. Hoje o clube vive um drama sem fim, de uma dívida hoje monstruosa de 700 milhões de reais, divulgada pela nova diretoria. Como resgatar um clube com problemas de duas décadas em um tempo curto ? Esse tempo não existe. Um candidato diferente apareceu nas últimas eleições, prometendo o céu para os torcedores, e parte deles se apaixonou à primeira vista, a ponto de idolatrarem o sujeito e começarem a promover campanhas de desassociação para asfixar financeiramente o clube para prejudicar e fazer com que a diretoria empossada desista e renuncie. Uma campanha condenável e fratricida,

Com o rebaixamento confirmado, então é novamente juntar os cacos e tentar a volta à Série A, que será bem árdua e competitiva. Pois, teremos Cruzeiro, Goiás e Coritiba, além do Botafogo. Não será fácil. Ainda tem o recurso do STJD, mas não se pode contar com isso, visto isto ser uma expectativa de direito. Logo, é arregaçar as mangas e reconstruir, se reinventar. Quem sabe agora, se essa luta fratricida se encerra um dia e o drama acabe. Esta coluna agora irá se restringir um pouco, tendo em vista que agora as colunas sobre os jogos serão mais restritas.