O jogo só acaba quando…

Pois é. O que aconteceu ontem no clássico contra os aves pretas realmente nos remete ao destino que sempre nos levará aos resultados nos confrontos contra os flores. O Urubu comemorava a vitória até os… 50 minutos… quando Marrony sofreu o pênalti. Mais surreal impossível.

O jogo foi rigorosamente igual. O mesmo número de chances de gol praticamente a mesma intensidade. O Vasco começou melhor. Logo com 1 minuto, Pikachu chutou de fora da área e o goleiro César espalmou a escanteio. Ato contínuo, Pikachu cobra o escanteio, Werley desvia e Marrony, sozinho cabeceia na rede pelo lado de fora. Mas o urubu reage 5 minutos depois com Trauco, com uma emendada para grande defesa de Fernando Miguel. E o jogo segue corrido, com o Flamengo um pouco mais presente, depois dos 15 minutos. Mesmo assim, o Vasco novamente levou perigo, com outro chute de Pikachu rente à trave.

No segundo tempo, dada a saída, Cáceres correu pela direita e tentou o cruzamento, mas errado. E no nosso erro, aos 2 minutos, o gol rubro-negro: bola com Éverton Ribeiro na meia direita que passa a De Arrascaeta, que toca para Vitinho, que devolve a De Arrascaeta que corre por trás de Raul e na frente de Werley e, livre, toca na saída de Fernando Miguel. Pela primeira vez no ano, o Vasco sai atrás no placar. E aí ? O Vasco resolve partir para cima como não havia feito antes no ano. E nosso pilar, a defesa, mal. AV faz as trocas colocando Rossi e Bruno César, que na verdade, deveriam ter começado o jogo. Rossi entrou muito bem, em cada 4 tentativas, passava nas 4 por Trauco facilmente, a ponto de fazer com que o mesmo fizesse faltas e tomasse cartão amarelo. Mas somente aos 14 minutos, tivemos a chance clara de empate: escanteio cobrado por Danilo Barcelos e Lucas Mineiro cabeceia prensado na zaga e a bola bate no travessão. Danilo Barcelos ainda fez duas tentativas em cobranças de faltas, ambas defendidas por César. Mas a grande emoção veio no final. Aos 47 minutos, o Vasco perde a bola no ataque e contra-ataque fulminante: Bruno Henrique é lançado e, ao invés de chutar para o gol, cruza para Rodinei que…..perde um gol feito. Ele chuta e permite que Danilo Barcelos chegue a tempo e salve o gol. E quem não faz….Bola aérea na defesa do urubu e Marrony é empurrado de forma ostensiva por Thuller. Pênalti. Lembramos que aos 37, houve um pênalti sobre Maxi López, porém este saltou de forma escandalosa e aí não foi marcado. E então, Maxi López não teve pena e empatou a peleja aos 50 minutos. Obrigado Rodinei….

E com o empate, permanecemos invictos. E os urubus até agora tentando processar o que aconteceu. E não tem essa de time B. Vieram com um time misto e não ganharam da gente, achavam que estava tudo liquidado. O jogo só acaba quando termina. Melhor aprender…