O futuro cruzmaltino

Mesmo não tendo Vasco neste final de semana, afinal só jogaremos quinta-feira, pela Copa do Brasil, contra o Vitória da Bahia, falemos sobre o nosso clube. Qual o rumo que nosso Vascão tomará com os acontecimentos ao longo de 2017? O que será que nos espera?

Ao longo da semana, liminares, o Botafogo tentando expulsar o Flamengo do Engenhão. Prevaleceu o bom senso, com as duas torcidas. Aonde entramos nisso? Não tem como colocar a torcida única como solução da violência e, nisso, nosso atual mandatário agiu bem, ao apoiar a dupla Fla-Flu neste episódio. Houve uma bela festa e um grande jogo, com a vitória tricolor nos pênaltis. Mas voltando a nós, o que esperar de nosso futuro com as novas contratações, a Série A do Brasileirão e as eleições do nosso amado clube em novembro?

Já temos nesta quinta, provavelmente o nosso compromisso mais difícil até agora no ano: terceira fase da Copa do Brasil contra o Vitória da Bahia. O Vitória montou uma boa equipe, que está se destacando no campeonato baiano e na Copa Nordeste. É uma equipe perigosa. Nesta fase, teremos jogos de ida e volta, com a decisão da vaga no Barradão. Lembramos que, em 1989, pela Copa do Brasil, enfrentamos o Vitória e fomos eliminados dentro de São Januário. Será uma batalha dura e não podemos tomar gol em São Januário. Como perdemos Luan, nosso melhor zagueiro, por um mês, Cristóvão terá que montar uma defesa diferente. Difícil acreditar que uma zaga com Jomar e Rodrigo possa cumprir essa missão, diante do perigoso ataque do time baiano. E nosso time ainda está em formação. Oremos. Se o nosso técnico fosse o Abel, certamente o Vasco teria mais chances contra eles. O Vitória da Bahia é o favorito a passar de fase, mesmo com nossa grandeza. Time por time, eles estão em um momento bem melhor do que o nosso.

Com relação à Série A, há tempo para montarmos o time com as contratações feitas. Com a contusão de Luan, precisamos achar um zagueiro, afinal ficaremos um mês sem ele. Mais uma vez, teremos que rezar para Cristóvão montar esse time. A torcida o quer fora o mais rápido possível. Eurico costuma demorar para demitir treinadores. Em relação ao início, houve uma melhora, pelo menos temos um time que cria mais chances de gol,  mas precisa acertar nas finalizações. Para isso Luiz Fabiano foi contratado. Bom centroavante, mas não sabemos como está a esta altura. A conferir. Esperamos que dê tudo certo no final.

Por fim, as eleições no final do ano. Em relação a esse assunto, a oposição tem procurado um candidato de consenso para o enfrentamento com a atual diretoria. Mas, conforme falado em colunas anteriores, o Vasco hoje é um clube bagunçado e desunido, com uma briga feroz entre partidários de Eurico Miranda e opositores. Uma briga cega e que não nos levará a lugar algum. Com essa desunião, o clube foi rebaixado pela terceira vez no Brasileirão e teve dificuldades no acesso à Série A, com direito a vaias e “fora Eurico”, no jogo derradeiro contra o Ceará. Infelizmente, o nosso amado Club de Regatas Vasco da Gama passa pelo pior período de sua história política. Os tempos de Antonio Soares Calçada, no período de 1983 a 2000, quase 20 anos, foram o maior período de vitórias da história do clube. Calçada foi um negociador hábil, que conseguiu unir as correntes políticas do clube, inclusive Eurico Miranda, que sempre fez oposição a ele. Até que, em 1986, ele convocou Eurico para ser o responsável pelo departamento de futebol. E assim, durante anos, o Vasco foi um clube vencedor. O Vasco sempre teve uma política complicada, mas hoje em dia está muito pior do que em épocas pretéritas. Eurico teve sua cota de contribuição ao clube, mas seu jeito personalista, que não ouve ninguém, acaba por desagregar o clube como um todo. Honestamente, hoje o quadro não é muito animador. Se fosse hoje a eleição, a atual diretoria ganharia fácil. Temos hoje uma oposição débil e sem um candidato de consenso, como foi Calçada. A nossa nau segue aos trancos e barrancos. Tomara que um fato novo apareça e que o Vasco possa ter um candidato diferente do que temos hoje para unir nosso clube e modernizá-lo.