O empate na raça

Houve cenas,como a de hoje, que infelizmente se repetitrão. Ficou visível a limitação da equipe cruzmaltina. O CAP foi melhor a maior parte do tempo; mas a raça cruzmaltina hoje salvou o que poderia ser uma derrota que seria um enorme prejuízo. A raça fez com que o onze cruzmaltino empatasse o jogo hoje em 1 a 1, salvando a própria pele.

Foi um jogo movimentado. O CAP foi melhor na maior parte do jogo, tendo caído após o seu gol. Entraram com 7 titulares hoje. E provou porque foi campeão da Copa do Brasil este ano. Mesmo com o domínio do jogo, agredia pouco. E a primeira chance do Vasco veio aos 1 minutos, com Yago Pikachu. que chuta para boa defesa de Santos para escanteio. E aos 12, Raul chega driblando, mas o zagueiro Pedro Henrique alivia. Aos 31 minutos, Barcelos cobra escanteio da esquerda e Henriquez cabeceia rente à trave. O CAP só chegou a sua primeira chance aos 39, onde Marco Ruben tenta chegar, mas Fenando Miguel defende. E parou por aí.

No segundo tempo, começou com o gol do CAP aos 3 minutos. Falta desnecessária de Richard na ponta direita. Abner cruza e Madson sobe mais do que os zagueiros e o goleiro Fernando Miguel e marca. A saída de gol de Fernando Miguel foi um completo desastre. Após o gol, o onze cruzmaltino se perdeu e aos 18 minutos o CAP quase faz o segundo, em uma jogada em que Léo Citadini, livre, chuta de fora da área e Fernando Miguel espalma para córner. Depois desse lance o CAP recua e o Vasco imprime raça, imprensa o CAP e consegue o empate aos 24 minutos: falta cobrada por Danilo Barcellos, Rony pula na barreira e põe o braço na bola. Pênalti. O próprio Danilo Barcellos cobra mal, só que forte; Santos toca na bola, mas a bola acaba entrando. Após o empate, o CAP recuou mais ainda e o Vasco pressionou em busca da virada. Talles Magno chtou aos 34 minutos e Santos espalmou para escanteio. E aos 40, confusão na área do CAP, Henriquez faz falta em Santos, CLAYTON chuta, a bola bate no zagueiro e Raul chuta, a bola bate no zagueiro e entra. O gol acaba sendo anulado corretamente pelo VAR. E parou por aí.

Menos mal, que o onze cruzmaltino empatou. Porque a derrota seria trágica. Poderia ser pior, mas consegumimos um ponto. Falta 21 para manter na Série A. Faltam 18 jogos, e o ideal é ganhar cinco e empater 6. Ou ganhar 7. Sigamos nossa trajetória.