O deus cruzmaltino e a política cruzmaltina

Sabe quando tem um daqueles dias em que tudo dá errado ? E hoje praticamente deu tudo errado para a gente. Não fosse o árbitro voltar atrás em uma marcação de um pênalti que não foi, hoje provavelmente estaríamos a lamentar mais uma derrota. Mas empatamos em 1 a 1 com o Sport Recife em um jogo em que fomos pressionados a maior parte do tempo. Simplesmente não conseguimos jogar. Principalmente no primeiro tempo.

E ao se falar do jogo de hoje, pense amigo cruzmaltino. Só conseguimos passar do meio de campo aos 15 minutos do primeiro tempo, com um chute de Nenê por cobertura. Fora isso, só deu leão. O centroavante André, que perdeu dois gols feitos nos primeiros 25 minutos retrata isso. O Sport nos dominou inteiramente nos primeiro 25 minutos. Só que não chutaram ou chutam muito pouco. E o Vasco resolveu se aproveitar da falta de chutes do adversário e contra-atacar mais. E foi em um contra-ataque que surgiu o gol. Anderson Martins, melhor do Vasco hoje, faz um lançamento primoroso para Pikachu e este cruza rasteiro para a corrida de Nenê que fuzila Magrão. Vasco 1 a 0. E após o nosso gol, um silêncio quase fúnebre tomou conta da Ilha do Retiro. Por que não eu ohohoh porque não eu…Assim foi o Sport Recife para o vestiário

Já no segundo tempo, voltamos melhor, atacando mais. E com isso tivemos duas grandes chances, uma com Andrey e a outra com Guilherme Costa. Não soubemos aproveitar e o leão da Ilha resolveu acordar. E em um ataque pela esquerda há o cruzamento e a bola bate no ombro de Anderson Martins. Inicialmente, Sandro Ricci assinalou o pênalti sem hesitar….Porém, depois que o Deus cruzmaltino soprou no ouvido bandeirinha do outro lado e este chamou o juiz e lhe disse o que realmente aconteceu, ele voltou atrás. Revolta geral na Ilha do Retiro, os jogadores do Sport entram em pane. Ainda assim, pofexô Luxemburgo faz duas alterações, o leão da Ilha melhora e aos 40, Raul Prata cruza da direita para André subir sozinho e empatar o jogo em 1 a 1, dando números finais ao jogo. Simplesmente uma noite para se esquecer, precisávamos vencer para ficarmos mais longe do Z4. Jogamos pessimamente. Ficaríamos 6 pontos mais longe. Estamos a apenas 4. Dizer que lutamos por G6 é a mesma coisa que você dizer a um incauto que está a vender terrenos na lua ou em Marte. É inverossímil. Não temos time para G6 e sem contar que o Botafogo que está a 8 pontos da gente, é um time regular que não oscila. O Botafogo teria que perder 3 jogos seguidos para que os alcancemos. Não vai rolar, Botafogo e Cruzeiro são times regulares, oscilam pouco. Logo, melhor esquecer Libertadores e nos preocuparmos em fazer mais 14 pontos e ficar na Série A. Este é o foco no momento. Depois pensaremos em algo melhor.

Quanto às eleições de novembro. Surgem algumas notícias de uma possível união das chapas de oposição. O que nos parece crível neste momento é a união das chapas de Brant e Campello. Existem conversas bastante adiantadas. Já Horta e Otto podem unir as suas também e aí ainda teríamos 3 chapas e não 5 como atualmente. Não sabemos se podemos efetivamente aferir algo com base nisso, mas uma pesquisa recém feita pelo staff de Fernando Horta, aponta o mesmo na frente, com Julio Brant em segundo. Eurico está em terceiro na pesquisa. Considerando-se estes números, mesmo com Horta à frente, o que se observou é que se Brant e Campello se unissem, eles superariam Horta e ganhariam a eleição. Interessante o fato, levando-se em conta a divisão das chapas. É alvissareiro isso. É apenas uma mera pesquisa eleitoral; mas essa indica que se dois se unirem, já se poderia tirar a atual administração. Mesmo assim, o ideal é a oposição toda se unir. E levando-se em conta os números de pesquisa, seria uma surra da oposição. Reiteramos que os números não têm uma grande confiabilidade, mas já dá para se ter uma ideia da tendência de votos dos sócios cruzmaltinos. Aguardemos pois.

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *