O Caso Rafael Vaz

Apesar da invencibilidade de 30 jogos, um assunto que rendeu muitos desdobramentos e polêmicas ao longo da semana, foram as tratativas para renovação de contrato do zagueiro Rafael Vaz, um dos protagonistas no bicampeonato carioca e autor do gol salvador que colocou o Vasco na próxima fase da Copa do Brasil.

Não sabemos ao certo, qual a razão efetiva da não renovação de Rafael Vaz e a provável ida para o time ave preta.  Mas as especulações vão desde a uma proposta melhor até a uma possível (mas improvável) briga com Rodrigo em um treino há três meses atrás.  Mas o fato é que, acima de tudo Vaz é um profissional e vê o que é melhor para ele.  E se o Flamengo fez uma proposta maior e ele gostou, não há como impedir a saída dele, salvo se o Vasco cobrisse a proposta, o que hoje é impensável, se tratando de uma filosofia que, por sinal é correta e sensata, de se manter um teto para não se perder o controle das combalidas finanças cruzmaltinas. O que vem dando certo, é melhor manter.

Porém como o futebol tem muita paixão, começou a polêmica dentro de nossa torcida e Rafael Vaz vem sendo alvo de fortes críticas e julgamentos.  Parte da torcida vem o chamando de traidor, até coisas piores.  Analisando de forma isenta a situação: Rafael Vaz é bom jogador, de uma boa técnica, dos zagueiros que temos hoje no Vasco, ele e Luan são os melhores tecnicamente; Rodrigo é um zagueiro duro, raçudo, bate forte na bola mas não tem a habilidade de Vaz.  No entanto  Rafael Vaz, embora bom tecnicamente, é lento no combate direto aos atacantes, não tem um bom posicionamento, por isso falha constantemente em gols pelo alto, vide primeiro gol do Botafogo no segundo gol da decisão e o gol do Remo na Copa do Brasil.   Mas fará falta para o grupo como um todo, uma vez que Aislan e Jomar não são bons reservas a altura dos titulares. Temos uma boa zaga, mas os reservas são fracos. Aí reside a falta que fará Rafael Vaz ao Vasco.  Mas paramos por aqui.

Portanto o Vasco agiu certo no episódio.  Não há porque fazer loucuras por um zagueiro reserva.  Se Vaz mudar de idéia, o que parece pouco provável, será bem vindo. Quer ir para o ave preta ? Ótimo, se acha o melhor vá.  Obrigado pelos gols decisivos, mas melhor seguir sua vida. Obrigado e boa sorte Vaz.  Mas uma coisa nesse episódio ficou muito clara:  a causa dessa não renovação, foi o senhor Reinaldo Pitta, o empresário , afinal detém 40% do passe do zagueiro.  Houve o interesse claro dele de valorizar o passe dele, quem mais ganhará mais nisso tudo é ele. O Vasco ainda não ganhará nada, mesmo tendo 60% dos direitos econômicos, caso parecido como o do Corinthians que gastou uma fortuna com Alexandre Pato e corre o risco de não receber nada do que gastou. Tudo por conta da transação feita na época entre Reinaldo Pitta e o Vasco na época. Hoje, pela lei do passe, o clube detém um percentual dos direitos econômicos, mas enquanto dura o contrato do jogador. Pobre Vasco.  Assim é o futebol de hoje.