A noite de Paulinho

Primeiro jogador nascido em 2000 a marcar gols na Série A e logo dois. Um adolescente que joga como grandes jogadores, de cabeça em pé, objetivo, em direção ao gol. Prazer, Paulinho. Paulinho foi o grande destaque da nossa grande vitória sobre o Atlético Mineiro por 2 a 1. Sem dúvida foi o grande destaque, mas temos que considerar que, por trás disso, há também o dedo do treinador. MM teve o mérito de observar Paulinho e os demais garotos e dar chance aos mesmos na hora certa. E em duas oportunidades, contra o Galo hoje e o Vitória da Bahia, há duas semanas atrás, eles corresponderam. Por isso, a uma parte da torcida que criticou veementemente MM por conta do episódio Nenê, um recado: precisamos ter calma, o elenco que MM tem é esse e ele não é milagreiro. Está a desenvolver seu trabalho e está no caminho certo. Só o fato de ele trabalhar a base e dar chance aos garotos é um grande mérito dele. Temos que dar tempo ao tempo.

Em relação ao jogo de hoje, foi um jogo bastante equilibrado. Poderia tanto ter ganho o Galo, como nós. O maior mérito de nossa equipe foi aproveitarmos bem as chances que tivemos em contra-ataques. No início, demos o nosso cartão de visitas com Paulo Vítor roubando a bola do zagueiro e dando trabalho a defesa adversária. Marcação alta e contra-ataques cirúrgicos. Essa era a nossa proposta. E nos primeiros 15 minutos, muito bem executada. Em uma dessas roubadas de bola, a mesma chega a Escudero e este dá um passe preciso para Paulinho que passa por trás do zagueiro adversário e toca com categoria, por baixo de Giovanni. Vasco 1 a 0. E um gol muito comemorado por todo o time. Em seguida, o time recuou em excesso e permitiu ao Atlético Mineiro tomar conta do jogo. E de forma perigosa. Entretanto, mesmo assim o Vasco tentou o segundo, com dois chutes de Bruno Paulista. Este jogador teve altos e baixos e em um desses baixos, o Galo empatou o jogo. Gilberto resolve pedalar no meio, perde a bola e Bruno Paulista tenta corrigir, mas perde a dividida e a bola é tocada para trás para Yago acertar uma bomba do meio da rua. Martin Silva, adiantado, só vê a bola bater no travessão e tocar dentro de sua baliza. Empate em 1 a 1. A partir daí e até a metade do segundo tempo, tivemos um jogo bastante disputado, com o Vasco a manter sua postura, fechado na defesa com transição rápida no contra-ataque. A nota ruim no primeiro tempo foi por conta da contusão muscular de Paulão. Entrou Jomar em seu lugar, a dar alguns sustos. Menos mal, que a partida terminou empatada em 1 a 1.

No segundo tempo, permanece o mesmo panorama. Jogo disputado e o Vasco permanecendo em sua postura de dar a posse de bola ao adversário e contra-ataques mortais. A partir dos 10 minutos, Escudero cansa e MM faz a substituição que nos dará a vitória: põe Guilherme Costa em lugar de Escudero. E com essa cartada de MM, melhoramos nos contra-ataques, com Guilherme Costa bem nas tabelas. E em um corte da nossa defesa, Gilberto consegue tocar para Guilherme Costa, na ponta direita; este pega a bola, dribla dois adversários e consegue atravessar bem a bola, encontrando Paulinho, que dribla o zagueiro adversário e toca com precisão no ângulo esquerdo de Giovanni. Belíssimo gol e Vasco 2 a 1. A comemoração foi em grande estilo, relembrando o trem bala da Colina. Depois desse gol, o Galo veio para cima, no desespero, vindo a utilizar até de violência em alguns lances, como Marlone que deu uma solada em Paulo Vítor na ponta direita. O que é condenável. Mas o mais importante foram os 3 pontos em uma vitória épica e temos que destacar mais uma vez a nossa base que correspondeu bem. A jogada do gol com Guilherme Costa e Paulinho foi uma jogada de almanaque, muito bem executada. Paulo Vítor, com seus deslocamentos, infernizou a defesa adversária. É óbvio que há de se ter cautela; mas esses jovens realmente vêm a dar bons resultados e MM, com todo o cuidado, está a colher os frutos de sua iniciativa. É um profissional sério e de pele cruzmaltina, pois passou pela base cruzmaltina. Logo, conhece como funciona; afinal ele foi produto dessa base, tendo sido campeão júnior em 1984, com Regis, Romário e Mazinho. Precisa dizer mais alguma coisa ?

Com Paulinho, Guilherme Costa e Paulo Vítor conseguimos hoje uma importante vitória que nos deixa em oitavo colocado ao final dessa rodada, com a metade do caminho feita. 23 pontos. Para nós cruzmaltinos, tem que ser assim, jogo a jogo. E ao caminharmos assim, em etapas, poderemos lá na frente, conseguir até uma Libertadores. Mas temos que continuar assim, com humildade, trabalho e aos poucos. Estamos no caminho certo. Com MM e os garotos, podemos conquistar vôos melhores. Acreditemos pois, não custa nada.