Não há quem o conteste

Li ontem, tão pasmo quanto vocês, que Celso Roth, este moribundo que (não) comanda o Vasco, foi mantido no cargo.

Durante o dia, havia circulado na web o resultado de uma dessas pesquisas online, mostrando que 97% dos votantes queriam Roth longe do Vasco. Ok, essas pesquisas têm muito pouco de coerência. Mas em quase 20 anos de internet, jamais vi unanimidade igual.

Só que essa unanimidade não quer dizer nada em termos de clube. Eurico (des)governa o Vasco cercado por seus dois filhos e por uma diretoria fraca, composta por gente de sua total confiança e, pior, subserviência. Duvido que algum de seus comandados ouse contrariá-lo em qualquer de suas decisões. Isso o permite exercitar aquilo que mais o interessa: o poder pelo poder. Ter a mídia aos seus pés sem que seja contrariado por quem quer que seja. A manutenção de Roth no cargo é isso. É esfregar na cara de todos nós que quem manda ali é ele. Que não adianta a imprensa pedir a cabeça do Roth, não adianta a torcida espernear. É ele que manda. Então, se o mundo quer o Roth fora do Vasco, ele passa a não querer. E acabou. É como o pirralho dono da bola. Se a divisão dos times não o agradar, ele bota a bola debaixo do braço e leva embora.

E é exatamente isso que está acontecendo no Vasco de hoje. Não há uma única voz que o conteste.

Basta o Flamengo perder dois ou três jogos que Márcio Braga começa a resmungar em público. Renato Maurício Prado (Pelo amor de Deus, eu não estou aqui avaliando o caráter desses personagens. Estou citando o que acontece) usa sua coluna como púlpito pra fazer política. A Gávea com seus centos ex-presidentes e suas respectivas curriolas ferve. A tv é inundada de entrevistas com Zico e afins descendo a lenha na administração. É assim com Bandeira de Melo. Foi assim com Patricia Amorim e com todos os demais pra trás.

No Fluminense, Celso Barros e Roberto Horcades são dois exemplos. Já fora do Fluminense pela saída da Unimed, lembro de ouvir aqui em Brasilia uma entrevista recente de Celso Barros desancando Peter Siemsen e companhia, no rádio, às oito da noite.

Pode pensar em qualquer clube do Brasil, de maior ou menor porte. Sempre haverá algum opositor de peso pronto a levantar a voz de público para contestar aquilo que está sendo malfeito.

Imagine ser um Vascaíno de longe, que não frequente redes sociais ou internet – coisa muito comum para um cidadão brasileiro de fora dos grandes centros. Morando em Brasilia ou João Pessoa, por exemplo. O que você acha que ele vê nas tvs ou lê nos jornais sobre o Vasco? Só deboche, humilhação, achincalhe. E quem representa a esperança dele em dias melhores? Quem fala contra o Eurico hoje no Vasco?

No Vasco de hoje , essa voz não existe.

Roberto Dinamite? Deixe-me ir ali chorar um pouco.

Juninho? Funcionário da Globo.

Edmundo? Funcionário da Band.

Julio Brant? Cadê Julio Brant depois das férias de seis meses? Que lugar ocupa na mídia?

Quem da oposição é procurado pela imprensa para emitir opinião acerca do estado terrível das coisas em São Januário? Ninguém.

Quem se apresenta, na oposição, como voz ativa, presente, sendo referência, como líder nesse atual momento das coisas? Ninguém.

A oposição vascaína desconhece a imprensa. A imprensa desconhece a oposição vascaína.

Pro vascaíno comum que citei acima, é como se não existisse oposição. Porque ele também a desconhece. Só os privilegiados das redes sociais conhecem a oposição do Vasco. As comunidades no facebook (as enormes) têm, no máximo, dez, doze mil pessoas. Nada perto da dimensão do Vasco. O Vascaíno comum está se sentindo abandonado.

Protestam no conselho deliberativo com resultado nenhum. Protestam nas redes sociais com resultado nenhum. Protestam dizendo não serem responsáveis pelo estado atual das coisas por não terem votado no Eurico. Eu tampouco votei. Sentido prático disso? Zero.

Espero que surja pra ontem alguém pra levantar a voz pelo Vasco. Até agora, essa pessoa ainda não surgiu. Ou, pelo menos, ainda não se manifestou como devia.

Pra você responder: Quem é a pessoa em quem você confiaria o reerguimento do Vasco hoje?