Mais uma goleada. E segue o calvário

Não se sabe se ainda é cedo para cravar; mas o fato é que o onze cruzmaltino praticamente não jogou hoje e foi presa fácil para o Grêmio em Porto Alegre. Um 4 a 0 inapelável. E só não foi um placar maior porque o time gaúcho tirou o pé, por conta do jogo contra o Santos pela Liberta. Mesmo assim, fez um gol de pênalti quase no final do jogo.

O Grêmio dominou inteiramente a partida. Foi predominante desde o início, pressionou o Vasco até os 25 minutos do segundo tempo. Teve a primeira chance aos 12 com Maicon, obrigando Fernando Miguel a grande defesa. Antes, aos 7, em um cruzamento David Braz perdeu sozinho. Aos 37, mais um chute de fora, agora de Pepê, grande defesa de Fernando Miguel. E aos 40, o primeiro gol: cruzamento de Diogo Barbosa, da esquerda para Diego Souza subir entre Miranda, Castan e Neto Borges testar forte no canto, sem chances para Fernando Miguel. O Vasco teve apenas uma chance, com Leo Matos, aos 22 minutos, para boa defesa de Paulo Vítor. E foi só.

E no segundo tempo, o Vasco sucumbiu ante a superioridade flagrante do time gaúcho. Logo aos 7 minutos, falha de Miranda e Diego Souza sobe livre para fazer 2 a 0. 2 minutos depois, aos 9, Pinares, livre, ajeita o corpo e acerta um belo chute, sem defesa para Fernando Miguel. Com o terceiro gol, o Grêmio diminui o ritmo; mesmo assim domina inteiramente o jogo. O Vasco teve apenas uma chance, aos 25 minutos, com um chute de Benitez, de fora da área, para boa defesa de Paulo Vítor. O Grêmio teve outra chance aos 37, com Pepê, que acertou o travessão. O time seguiu entregue e apático e ainda tomou o quarto gol, no final, aos 45 minutos: Lucas Silva ganha a disputa com Ricardo Graça e é derrubado por Miranda. Pênalti. O próprio Lucas Silva bate forte no canto e não dá chances e Fernando Miguel e finaliza o jogo com o quarto gol. Mais uma vez, caiu de quatro pela terceira vez no Brasileiro 2020.

O Vasco segue no Z4 o seu calvário. Nota-se de forma clara uma apatia dos jogadores. O time praticamente andou em campo hoje. Tomou 4 gols e nenhuma reação. Uma crise sem fim , além do problema eleitoral. Nada se pode afirmar, mas tudo indica que o técnico português Sá Pinto pode ter perdido o grupo. Sem contar a eliminação bisonha na Sul Americana na quinta-feira, quando o goleiro Lucão deu uma manchete de vôlei no pé do atacante do Defensa Y Justicia. Uma tremenda lambança. Esse é o triste retrato de um clube que já foi um dos maiores do mundo. Hoje não passa de um retrato na parede.