Lugar de mulher também é nas arquibancadas.

Amigos,

Acho que o momento é de grande expectativa para todos os Vascaínos com esse jogo contra o criciúma. O jogo em que podemos garantir o acesso matemático para a série A e acabar com esse sofrimento. Momento em que por um tempo poderemos respirar aliviados e voltar à realidade. Uma Instituição gigante como o Vasco não poderia jamais estar nessas condições.

Falo em por um tempo porque vejo que a nova especulação para o Vasco para o ano que vem é do Atlético goianiense – Pedro Bambu. E lá vamos nós com planejamento série B em vez de pensarmos um pouquinho mais alto. Não digo que ele é um jogador ruim, mas ser destaque em time mediano não significa que vá brilhar no Vasco. E se formos avaliar o que vem pela frente, além das renovações com os “idosos” do elenco, começamos a entrar em desespero antes do ano de 2017 se iniciar.

Agora vamos pensar nesse único jogo e focar no acesso. Acabar com esse ano deprimente e que todos nós possamos, mesmo que a realidade nos mostre o contrário, sonhar com um ano melhor.

+++++

O técnico Jorginho terá a sua disposição Andrezinho, Luan e Jorge Henrique. Sinceramente, para mim só voltaria com o Luan, nosso zagueiro. Com o Andrezinho jogando junto com o Nenê, perdemos velocidade e com isso somos dominados pelo adversário.

E por falar em time, que atuação teve o Thalles no último jogo! Aliás, nos últimos jogos, tem participado bem das jogadas, buscado as bolas e segurado os zagueiros adversários. Precisa apenas colocar a cabeça no lugar e cuidar do físico, porque, quando quer, sabe jogar bola. Vem sendo importante nessa reta final de campeonato.

+++++

Agora vamos ao basquete… Começamos com uma boa vitória fora de casa e no segundo jogo fizemos um jogo horroroso contra o Brasília, forte adversário nesse NBB. Jogamos agora contra o Campo Mourão, nosso adversário na final da Liga Ouro, quem nem conquistou vaga no NBB e sim foi convidado e perdemos novamente. Começamos bem com o Murilo dominando o garrafão e, de repente, um apagão geral no time. Nezinho vem mal no time e o técnico Cristiano insiste com ele. O jogador Marcellus entrou muito bem no segundo quarto, mas na volta do intervalo não voltou com o time. O Murilo, com apenas duas faltas, não retornou – não sei por qual motivo – e fez falta. No último quarto do jogo, Marcellus voltou ao time e fez a diferença, fazendo onze pontos. Se tivesse participado mais do jogo, a história poderia ter sido diferente.

Fica difícil entender a insistência com alguns jogadores que estão num mau momento. Isso, acredito, irrita o elenco e irrita a torcida, que perdeu a paciência com o técnico, muito xingado. É hora de aproveitar os jogadores que estão no melhor momento e rendendo no jogo. Teremos um fortíssimo adversário hoje, o Mogi fora, e depois mais dois jogos no ginásio de São Januário.

Lembrando que NBB não é Liga Ouro nem carioca. Adversários são fortes e consistentes e o campeonato é longo. Muitos jogos pela frente, mas aqui existe pressão. É o Vasco em quadra e a torcida vai cobrar por resultados.

+++++

Essa semana ocorreu um episódio ridículo com  punição do Grêmio com perda de mando numa final por causa da filha do Ex-jogador e técnico Renato Gaúcho ir abraçar o pai após o jogo.

Várias vezes presenciei filhos em quadras e campos pós-jogo brincando, jogando bola. Agora quando se trata de uma mulher, tudo é diferente. Como ainda existe preconceito no esporte. É inconcebível nos dias de hoje haver essa discriminação por sexo, principalmente no meio do futebol, um esporte tão popular ainda mais num país que tem em sua maioria mulheres. Escrevi um texto nas redes sociais a respeito disso e colocarei aqui pra compartilhar com vocês.

“E o esporte está ficando cada vez mais feio, mais chato e mais preconceituoso com pessoas (STJD) querendo aparecer mais que o atleta em si.

Quantas vezes vimos filhos abraçarem seus pais após jogo, sejam já crescidos ou crianças? Inúmeras vezes. Agora o fato de ser uma mulher que se tornou famosa por ser filha de um ex-jogador e agora técnico e também por ser bonita isso se chama preconceito.

Se Carol gosta de aparecer nas redes sociais tirando foto ou o que ela faça isso é problema dela, mas ninguém nega que ela sempre esteve presente nos jogos sempre acompanhando o pai.

Se fosse multado por não ter credencial pra entrar no campo era até aceitável, mas perder mando por ir abraçar o pai depois do jogo chega a ser ridículo!!!
Vivemos num mundo extremamente ainda preconceituoso onde mulheres precisam ter cartilha pra torcer, pra ir a um estádio ou ginásio ou até se manifestar.

É ridículo eu amante do basquete não ter uma camisa feminina tendo que comprar uma pequena masculina e mandar pra costureira. Isso é uma forma de nos isolar de participar.

Começamos como nós mesmas mulheres que em vez de lutar por nossos direitos e nossos lugares não vamos prestigiar nenhum esporte feminino a não ser que seja time de ponta ou seleção e isso em esportes em evidência.

Chega!!! Precisamos dar um basta!!!! E isso começa por nós mesmas nos valorizando e valorizando todas as mulheres que lutam por seu lugar seja dentro do campo ou do ginásio ou nas arquibancadas. Só assim nos respeitarão.

Ninguém irá tirar meu direito de torcer, de me manifestar ou de estar presente acompanhando o que amo.

Meu lugar é na arquibancada!!! Chega de preconceito. Lugar da mulher é onde ela quiser e precisa ser respeitada!!!”

+++++

Que São Januário olhe por nós e que pai Santana nos proteja.

++++++

Sempre ao seu lado. Incondicionalmente.

+++++

E você já é sócio do Vasco? Está esperando o quê?

++++++

Toda segunda-feira tem o PROGRAMA FALA VASCAÍNO às 22 horas. NÃO PERCAM!!!!
www.youtube.com/ falavascaino

Carolina Sousa
E-mail: carolinasousao@globo.com