Libertadores mais distante

Existe uma palavra para definir a nossa torcida: resiliência. Só sendo resiliente para aturar a limitação desse elenco e ainda assim acreditar em uma improvável vaga no G7. Verdade que o time de Zé Ricardo ficou 11 partidas invicto. Mas hoje as ilusões cessaram. Caímos em uma dura realidade e saímos derrotados hoje pelo Atlético Paranaense pelo placar de 3 a 1 . E só não foi mais porque depois baixaram o ritmo. Esse mesmo Atlético Paranaense que foi derrotado por um time que briga para não cair, a Ponte Preta. A realidade, leitores, é que para esse time a Sul Americana é a realidade mais palpável. Uma vitória e um empate nos garantem essa vaga. E está de bom tamanho.

Em relação a partida de hoje, foi um jogo fraco, sem muitas chances de gol. O Altético Paranaense teve mais chances e aproveitou melhor nossas falhas, No primeiro tempo, dois gols no início: um aos 14, de Thiago Heleno, em falha grotesca de Wellington, que se ajoelhou inexplicavelmente e permitiu ao zagueiro adversário tocar livre para o gol. Mas aos 16, o adversário nos retribuiu a gentileza: em um escanteio cobrado por Nenê, Wanderson falha bisonhamente e toca para o próprio gol, nos dando o empate de graça. Após os gols, poucas chances. A única real foi um chute de Douglas Coutinho aos 37 minutos para boa defesa de Martin Silva. E foi só.

No segundo tempo, os times vieram mais dispostos. O Vasco teve uma grande chance aos 14 miuntos, em que Wanderson, que já havia nos presenteado com um gol contra, entregar uma bola no meio da defesa. Wagner recebeu o presente, mas errou o alvo, chutando a esquerda de Weverton. Mas quem não faz, toma: em uma jogada de saída de bola, 2 minutos depois, Wagner erra o passe e Douglas Coutinho agradece e chuta forte. Martin Silva, adiantado, não consegue evitar o gol. Atlético-PR 2 a 1. E ainda teria um escanteio aos 21 cobrado pro Felipe Gedoz em que Andrés Rios não sai do chão e Wellington assiste Fabrício cabecear e dar números finais a partida. Furacão 3 a 1 e depois o jogo se arrastou até o final, com um Vasco inoperante e sem poder de reação.

Temos mais 2 jogos. O que resta a nós então ? Os torcedores resilientes ainda acreditarão em uma improvável classificação a Libertadores. O jogo contra o Furacão era esse jogo chave. Como perdemos, realmente é um pouco difícil acreditar nisso. De qualquer modo, esse time já fez o que era o principal, se manter na Série A. Perdemos muitos pontos em casa contra Vitória, Coritiba, Sampa e Galo. O que vier nesses dois últimos jogos é lucro. Uma Sul Americana é o mais provável a essa altura. Então é jogarmos com dignidade e ver o que sairá desses resultados.

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *