Jorge Nunes – Uma perda fora das quatro linhas

O futebol tem a virtude de valorizar figuras humanas além das quatro linhas do jogo. Já tivemos um massagista, Santana, que virou ídolo e tinha seu nome gritado todo jogo. Hoje, porém, perdemos um radialista que marcou todos com quem teve contato.

Nesta sexta-feira à noite fui tomado de surpresa e tristeza pela notícia da perda, por tuberculose, do radialista JORGE NUNES, 63 anos, figura folclórica do rádio carioca, que além de VASCAÍNO até a medula também era uma grande figura humana.

A grande maioria dos ouvintes gostava dele. Sua língua era afiada. Não fazia questão de agradar mas também não queria afrontar, queria apenas ser autêntico. Se tivesse de meter o pau no VASCO quando considerava o time fraco, fazia-o sem o menor pudor… rs

Este era o Jorge Nunes! Autêntico!!

Enquanto eu dirigia, ouvi os depoimentos no rádio e me emocionei. Foram inúmeros e vieram de todos os setores do futebol: vários clubes, outras rádios, técnicos, ex-jogadores etc. O certo é que marcou sua passagem na Terra de maneira profunda e na função de comentarista transcendeu o fato de ser torcedor declarado do CRVG sendo abraçado por todas as torcidas.

Era pequeno na estatura mas um gigante na postura de encarar a vida e alegrar todos a sua volta, conforme depoimentos que estou escutando até agora na Rádio Tupi.

Também tinha a mania de ajudar os menos afortunados. Falava a língua do povo. Era espontâneo, espirituoso, inteligente, irônico, autêntico, peladeiro, contador de histórias, engraçado, alegre, malandro, bem-humorado, amigo, solidário, Vascaíno Ilustre. Os adjetivos são infindáveis mas todos citados foram cunhados pelos amigos que fez ao longo da vida.

Bordões: Tá expulso, tá expulso!

Tudo veado, tudo criado com vó!

Ah moleque!!

O juiz maior apitou. O jogo acabou. Apagaram-se as luzes. Agora o jogo é em outro plano.

Já deixou saudades. Jorge Nunes, alegre o céu e dê uma força para o nosso VASCO daí de cima!!

#AhMoleque!
#JorgeNunes