A hora e a vez do craque

“Quando está bem, ele é a diferença que tem o Liverpool. Acho que é um grandíssimo jogador e está mostrando que tem qualidade para jogar tanto no Liverpool quanto para estar na seleção brasileira. É um orgulho estar jogando com ele”  – Luiz Suarez,  ex-atacante do Liverpool

“Ele tem momentos de brilho mágico”. – Steve Gerrard  – Capitão e ídolo tanto dos Reds quanto do English Team

É um grande talento tendo em conta os oito milhões de euros que custa. É notável  a sua habilidade com a bola”. – Brandan Rogers,  treinador do Liverpool.

Sim, apesar do coração vascaíno falar mais alto, não é possível que quem acompanhe o futebol internacional não tenha se espantado com a não convocação de Philippe Coutinho para a Copa.

Principal responsável pela excelente temporada de Luisito Suarez na Premier League, auxiliou com assistências e gols a campanha quase perfeita do Liverpool esse ano.

Estamos em um momento de pobreza do futebol brasileiro, no qual os meias de criação estão em falta. Conto nos dedos de uma mão meio-campistas com a criatividade como ponto forte e por isso há muito tempo se vem jogando com três homens de contenção, tanto aqui no Brasil quanto fora.

Coutinho tem talento de sobra, uma consciência tática acima da média.

Fred foi o menos culpado pelo fraco desempenho na Copa. O inoperante Oscar não tinha um colega com que pudesse dividir responsabilidades no meio. Não que eu o ache mau jogador, porém ao receber a marcação individual, ficamos a mercê de Ramires, Paulinho, Fernandinho etc.

Coutinho tem o estilo de jogo que encaixa com nosso atacante calopsita.

A velocidade do craque Neymar pede os passes em profundidade de Coutinho.

Gostaria também que Dunga convocasse o desconhecido Roberto Firmino do Hoffenheim.

Meio campista novo e habilidoso, dono de uma presença de área e passes precisos que fazem os olhos saltitarem.

Espero uma grande renovação.

Apenas Neymar e Thiago Silva (na minha opinião) têm vagas garantidas; jogadores como Diego Alves, Auro, Rodrigo Caio, Abner, Dória, Igor Julião, Lucas Piazon e Thalles são nomes que devem surgir futuramente, visando até as Olimpíadas.

Acredito que com a mescla certa faça a seleção voltar aos trilhos. Caso contrário, prevejo novas vergonhas.

Nos lemos em breve!