A nossa história representa: SUPERAÇÃO

Amigos,

O que dizer dessa desastrosa atuação? Realmente não sei o que está acontecendo com nosso time. Não vi vontade, não vi luta, não vi sangue nos olhos, vi um time apático, displicente, jogando como se fosse cumprir tabela, sem interesse.

Vi Gilberto cobrar um pênalti de qualquer maneira, vi Dagoberto se arrastando em campo, vi Rodrigo reclamar de um companheiro pós-jogo. Vi um Jordi nervoso, vi um Gilberto ser expulso infantilmente. Isso se chama nervosismo, destempero que já comentei coluna passada.

Algumas pessoas já jogam a culpa no Doriva. Eu acho que Doriva tira leite de pedra por causa do nosso fraco elenco. Ele teve responsabilidade sim contra o atlético-mg porque abriu o time quando deveria jogar fechado. Apenas acho que ele ainda é muito inexperiente para dirigir o Vasco. Em que sentido? Um treinador que se preza quando substituiu não deve apenas trocar seis por meia dúzia. Ele deve fazer alterações táticas, mudar o time em campo, mudar o esquema de jogo e não o vejo fazendo isso no Vasco. Elenco não ajuda, mas nem isso ele faz. Vasco não é Ituano. Jamais será. Ele não consegue implementar jogadas. Realmente não sei o que ele treina diariamente, pois não o vejo conseguindo tirar o melhor de cada jogador.
O time em campo parecia um bando, tocando de qualquer jeito, errando passes de meio metro, jogadores nervosos e aquela união do estadual desapareceu.

Luan, Madson, Júlio dos Santos e Gilberto sumiram. Yago me irrita profundamente. Jogador que só corre e depois não sabe o que fazer com a bola. Por que insistir ainda? Por que não dar chance aos nomes desconhecidos que chegaram ou a alguns da base? Pelo menos acredito que esses vão correr e querer mostrar seu valor.

Deixei um parágrafo especial para falar do Jordi. Não o culpo pelo ocorrido. Acredito que Jordi possa ter futuro, mas em todas as apresentações o vi muito nervoso e inseguro, fruto da falta de experiência e oportunidade. Como ser firme se não joga? Foi infeliz pela falta de maturidade profissional e o segundo reserva, Charles, que não tinha a mínima perspectiva de entrar, mostrou muito bom reflexo e não comprometeu. Martin fará muito falta e eu estou na torcida pro Uruguai ir mal na copa América. Acredito que será a torcida de todos vascaínos.

 

gilberto

A nossa realidade é: brasileiro não é carioca. Times melhores, elencos certinhos e cada um buscando objetivos diferentes. Nosso elenco é fraco e precisamos de reforços. Ainda dá tempo. Esses pontos perdidos nos farão falta, mas se contratarmos certo e imediatamente poderemos recuperar.

O que dizer ao nosso torcedor? Estive em São Januário entre os 2.889 presentes. Muito complicado criar expectativas, dizer que vamos brigar lá em cima. A apatia, as trocas de farpas e indiretas entre os jogadores foram as coisas que mais me incomodaram. Boicote ao treinador? Não sei, sinceramente. Salários em dia. A torcida precisa acreditar. Somos vascaínos e a nossa força e o nosso incentivo é que poderá ser o ponto de partida para a recuperação. Precisamos abraçar esse time, mas o time precisa mostrar que quer ser abraçado, que vai fazer por onde e a diretoria colocar ingressos mais baratos. A presença do torcedor é fundamental nesse momento.

Nosso próximo jogo, hoje contra o atlético paranaense será duríssimo. Primeiro pelo histórico dos confrontos no campo e depois por todo apelo emocional que passou a envolver esse confronto. Jogaremos sem Martin Silva (seleção uruguaia), sem Jordi (expulso), Sem Guiñazu (3º cartão amarelo), sem Gilberto (expulso) e Dagoberto (machucado).

Eu vi jogadores com nomes inhos se tornarem “ãos” e representarem o time do Vasco com muita luta, muita determinação, muita vontade e personalidade como Pedrinho, Luisinho, Juninho e entrarem para a seleta lista de vitoriosos e campeões do Vasco, mas não consigo admitir que os novos inhos (Marcinho, Diguinho, Serginho…) apequenem o Vasco com falta de vontade, luta e principalmente por não saberem o que significa vestir essa camisa e carregar essa história.

Para aqueles que nos representam em campo: lutem, briguem, se doem, se dediquem que estaremos apoiando incondicionalmente. Se não tiver técnica, que não falte vontade, muita luta. Porque assim estaremos com vocês. Somos acostumados a ter times que representam em campo o que a nossa a nossa história representa: superação.

Sempre ao seu lado. Incondicionalmente!

—–

E você já é Sócio do Vasco? Está esperando o quê?

—–

Gostaria de convidar a todos para assistirem o Hangout do qual participo todas as terças-feiras às 22 horas:
FALA VASCAÍNO.
www.youtube.com/falavascaino

Carolina Sousa
E-mail: carolinasousao@globo.com