Flamengo x Vasco – rivalidade histórica

Uma rivalidade que começou no remo. Foram clubes fundados no final do século XIX.Portanto mais de 100 anos de rivalidade. Só que no futebol, começou em 1923. Um dos maiores clássicos brasileiros, senão o maior deles. Atravessa fronteiras. Isso é Flamengo x Vasco.

Quanto a amanhã, pela primeira vez, enfrentaremos os mulambos em um sábado de carnaval. Uma novidade. No momento atual, jogaremos contra um time que está entre os melhores do Brasil. Fato. Eles têm um time; nós não. Porém nos últimos jogos, foram 6 vitórias nossas e 3 empates.E com um detalhe: em todos esse jogos, nosso time era inferior ao deles. Na Copa do Brasil de 2015, estávamos em uma crise sem precedentes; éramos zebra e ganhamos de 1 a 0, com gol de Riascos. Se olharmos por esse lado, da mística do jogo, podemos até vencê-los;.a história do clássico diz isso.

Se formos buscar momentos marcantes na história do clássico, temos diversos no nosso lado. Como o título de 77, ou o bicampeonato 87/88, com show de Romário. O chocolate de 5 a 1, na taça GB de 2000. E o show de Edmundo no Brasileiro de 1997, com a goleada por 4 a 1. Enfim, muitas alegrias. Alguns dissabores também. Mas temos que encarar da seguinte maneira: esse jogo de amanhã é como um amistoso de luxo; ele não vale muita coisa; isto porque o regulamento do Estadual prevê que os 4 primeiros se classificam às semifinais. Então, ganhar a taça Guanabara não quer dizer muita coisa em termos práticos. Logo o Vasco deve entrar mais relaxado, como zebra. Eles é que têm que partir para cima, não nós. O time cruzmaltino ainda é uma equipe em construção. A verdade é essa.

Sendo assim, o comportamento do Vasco amanhã é tranquilidade e nos aproveitarmos dos erros dos mulambos. É assim que devemos jogar. Se não passarmos à decisão da taça GB não é nenhum desastre. É assim que temos que encarar. Só que isso não significa que a gente não tenha que ganhar dos mulambos. Temos que jogar para ganhar deles sempre. Mas estamos em nítida desvantagem para amanhã. Mas isso não quer dizer nada. Clássico é clássico. E vice versa, dizia o folclórico ex-atacante e hoje traficante Jardel. Às
armas Vascão.