Falhas…

Pouco mais de um minuto do primeiro tempo, Luan recebe ótimo passe e em ótimas condições para marcar, chuta torto, mandando a bola para a lateral do campo…

Esse lance inicial deu mais ou menos a tônica do jogo de ontem. Li em alguma entrevista dada antes do jogo que o nosso técnico disse que o Vasco buscaria o “erro zero”. Pois no primeiro lance, a tentativa já foi derrubada.

Dispensável dizer a diferença técnica entre o nosso atual time e o bom time do Santos. Além da força da juventude contra os nossos “velhinhos”, demonstraram ontem uma frieza de jogadores muito mais experientes.

Então tinha que ser na raça, na força, no coração. Empurrado pelo ótimo público (finalmente!!) que compareceu ontem à São Januário. Mas não se pode errar em lances capitais.

Além desse nos primeiros minutos do primeiro tempo, houve um outro no segundo tempo. Esse para mim foi a famosa “bola do jogo”, e falhamos novamente quando não se podia falhar… Depois de um chutão do Nenê, Yago Pikachu domina e passa uma bola açucarada para nosso atacante absolutamente sozinho, na pequena área, com o goleiro já batido, conseguir a proeza de chutar para fora… Nesse momento estávamos vencendo por 2 a 1 e o terceiro gol com certeza mudaria a história do jogo.

No final das contas, ao menos um time aguerrido. Limitado tecnicamente para uma disputa na série A, mas um time que ontem, ao menos, honrou a camisa que veste.

Falando em falhas, falhou o Martin Silva no primeiro gol do Vasco (para seu deleite, meu amigo Zeh Catalano…).

Falhou o Diguinho diversas vezes, mas aí não há novidades…

Falhou o Andrezinho que ontem não era nem sombra do jogador de bem pouco tempo – para mim, tirando os óbvios, o pior do Vasco em campo.

Falhas…

E por falar de erros, e o “soprador de apito”, hein? Fraquíssimo!!!

Conseguiu cometer erros duplos em lances capitais da partida, como o pênalti duplo ainda no primeiro tempo – a bola bateu na mão de dois jogadores diferentes do Santos dentro da área e “sua senhoria” preferiu ignorar. E depois no lance do segundo gol santista ignorou uma falta claríssima cometida sobre o menino Alan e um impedimento clamoroso do atacante santista.

A CBF, o STJD, o Temer, o Moro, o Papa… Alguém precisa fazer alguma coisa para diminuir os erros de arbitragem. Até quando teremos resultados do jogo influenciados por juízes mal preparados?

Foi muito bom ver mais de 18 mil pessoas em São Januário empurrando o time. Prova a tese que defendi na última coluna. Com motivação e preço um pouco mais baixo o torcedor comparece. Mesmo numa jornada dificílima como a de ontem.

Volto do jogo, já na madrugada de quinta e encontro meu amigo “framenguista” – o Luiz, na entrada do meu prédio…

“Há! Eliminado!!!”

“Ué… Mas você não foi eliminado ANTES pelo Fortaleza, um time da série C?”

“Que nada! Aquilo era tática para vencermos a tal da Sulamericana!!”

Mais uma vez, preferi me calara e seguir o meu caminho…