Sobre Luis Fabiano

Luis Fabiano é jogador do Vasco. Ponto. Descontadas as hipérboles sobre o tema e refletindo seriamente, não há como não ter esperanças com a contratação que deve ser oficialmente sacramentada nas próximas horas.

Experiente, vitorioso, excelente finalizador com mais de 350 gols na carreira, com bagagem internacional, LF é o terceiro maior goleador da história do São Paulo, com 212 gols marcados. É também o quinto maior artilheiro da história do clube espanhol Sevilla, com 109 gols. Na China, veio de 23 gols em 29 jogos.

Os números são inquestionáveis.

Sim, o revés de ter mais um jogador veterano requer cuidados, mas isso fica por conta da escalação de Sir Cristóvão, sabendo equilibrar a presença de jogadores jovens e experientes.

Luis Fabiano traz peso e currículo a uma camisa monumental. É claro que ele não levará sozinho o Vasco a conquistas, mas no mínimo impõe o respeito de ser um dos reforços mais vitoriosos do clube nos últimos tempos.

Fazendo a sua função essencial de homem de área, as expectativas de felicidade vascaína são as melhores possíveis.

Ninguém ganha de véspera, mas a presença do artilheiro é um gol para encaminhar o time no restante da temporada. Uma referência forte.

Certeza plena de êxito, ninguém tem. Mas é mais fácil torcer por ela tendo gente acostumada ao sucesso do que ao fracasso. Ou, pior ainda, o ocaso.

Num clube acostumado com monstros da finalização como Ademir Menezes, Roberto Dinamite e Romário, a chegada de Luis Fabiano reacende uma tradição da Colina. A idade não lhe permitirá uma carreira decenal, mas quem sabe não vem por aí um biênio de grandes gols? Não se trata apenas de sonhos, mas de uma possibilidade real.

Os vascaínos têm motivos para comemorar. E os mais céticos têm uma boa chance para a reflexão. Já os pequerruchos celebram como nunca: um artilheiro de verdade chegou.

@pauloandel