Empate heróico e o brio cruzmaltino

E o brio cruzmaltino brilhou. Em uma partida eletrizante em que ficou 2 vezes à frente no placar, o Vasco teve uma atuação heróica, a melhor no Brasileiro até agora e empatou a partida em 4 a 4. Foi um dos jogos mais movimentados e ofensivos até agora. E a primeira partida em que os aves pretas levam 4 gols em uma partida. Poderia ter sido melhor, se não fosse o nulo e imprestável Danilo Barcelos.

A partida foi movimentada do início ao fim. E o jogo começou com um gol aos 38 segundos. Isso mesmo, 38 segundos.Mal os aves pretas deram a saída e Renier pegou a bola, deu uma arrancada costurando a defesa cruzmaltina e cruzou para Éverton Ribeiro abrir o placar. O onze cruzmaltino não se abalou e partiu para dentro dos urubus. E aos 6 minutos, Pikachu cruzou e Marrony testou para boa defesa de Diego Alves. O Vasco seguiu martelando e chegou martelando até empatar ao 17 minutos: Rossi cruza, Raul escora para MArrony bater firme para o gol. Após o gol, o Vasco avançou mais suas linhas e aos 34 surpreendeu: Pikachu dá duas canetas em Rodrigo CAIO e Pablo Mari e é derrubado por esse. Pênalti. E PikacHu cobra com categoria, sem chance para Diego Alves. Mas o Vasco vacila e no final do primeiro tempo, falta em Gabigol. Ele rola para Rafinha, que cruza e Danilo Barcelos faz contra.

E o melhor estava por vir. Em um primeiro tempo em que tivemos um jogo pegado e eletrizente, tivemos um segundo tempo mais emocionante ainda. E aos 5 minutos, o Vasco novamente fica em vantagem: bola nas costas de Pablo Mari e Filipe Luis, Rossi cruza precisament no pé de Marcos Junior que só tem o trabalho de completar para o gol: 3 a 2. O Flamengo resolve se lançar todo ao ataque e o Vasco se defende bem; só que o onze cruzmaltino começou a sentir a intensidade e começa a pregar em campo. Bruno Henrique, completamente sumido na etapa inicial, ressurge e começa a aprontar correria na defesa cruzmaltina. E esta começa a sucumbir ante a pressão dos aves pretas. E aos 19, leva o empate, com ele, Bruno Henrique em um contra-ataque, que Danilo Barcelos não o alcança em que ele pega a bola, vindo da intermediária deles. Ricardo Graça tenta travá-lo, mas é inútil. Aos 24, Bruno Henrique chuta por cima. E aos 29, Gabriel cabeceia rente à trave . E aos 35, os aves pretas viram com ele, Bruno Henrique: Vitinho dribla Ricardo Graça, Danilo Barcelos 2 vezes e cruza, a bola passa por cima de Pikachu e Bruno Henrique, em suas costas, escora para o gol. Só que quem pensou que estava tudo acabado, nada. Aos 43 minutos, Ribamar recebe lançamento preciso de Ricardo Graça e ganha da dupla de zaga e chuta para excelente defesa de Diego Alves. Mas nos acréscimos não teve jeito: Ricardo Graça coloca a bola na área, Henriquez sobe de cabeça e dá o passe para Ribamar, também de cabeça, subir no último andar e empatar em 4 a 4, calando a maioria ave preta no Maracanã

Um jogo de arrebatar. A partida de ontem certamente entrará para a história do clássico, como uma das mais marcantes. Primeiro pelo placar e segundo, principalmente pelo brio do onze cruzmaltino. Com tudo contra, torcida não comparecendo, pouco incentivo, gol adversário aos 38 segundos, erros da arbitragem marcando algumas faltas inexistentes, violência da defesa dos aves pretas. Com tudo isso, o Vasco demonstrou brio, dignidade e por que não, alguma técnica. Sim, Pikachu deu duas canetas antes do pênalti sofrido; um Marrony infernizando a zaga adversária e Ricardo Graça, soberbo na defesa e cruzando a bola para o último gol do jogo. Uma atuação irrepreensível. Danilo Barcelos quase pôs tudo a perder com seu gol contra, deveria ter saído no intervalo. Foi o único que destoou do conjunto todo. Parabéns Vasco da Gama, dignidade e tradição não há dinheiro que pague. E Palmeiras, Grêmio e River Plate: vocês já sabem o que fazer para ganhar do “temido” urubu. Não é tão difícil assim. Basta jogar como o Vasco jogou hoje e como vocês não têm um Danilo Barcelos, vocês conseguem a vitória.