Em ritmo de treino.

Foi um treino de luxo.

Tamanha diferença de nível técnico entre nós e o no máximo esforçado Bangu, se traduziu em um domínio em campo que pode ser provado em qualquer estatística que se levante dessa nossa estreia na Taça Guanabara.

O primeiro gol foi apenas uma questão de tempo e depois que ele saiu, a partida se transformou numa longa e enfadonha troca de passes entre nossos zagueiros, nosso goleiro e nosso “cão de guarda” (Marcelo Mattos).

O primeiro chute a gol do Bangu (para fora…), só saiu aos 41 minutos do primeiro tempo!

Veio o segundo tempo andamos levando um susto ou outro, mas absolutamente nada que preocupasse as poucas testemunhas presentes hoje em São Januário.

Veio o segundo gol, o que acabou por nos colocar na liderança, e mais nada de muito interessante…

De negativo, Thalles não jogou nada, mas eu ainda acho que, se bem trabalhado, pode vir sim a ser um grande atacante. Madson para variar correndo muito sem saber o que fazer com a bola e errando jogadas por pura falta de um pouco (nem tanta assim…) inteligência. A meu ver, Jorginho já podia testar o Yago Pikachu por ali. Nenê, muito marcado, às vezes me passa a impressão de que se ele simplificasse mais as jogadas, seria um pouco mais efetivo do que já é. Mas tem crédito.

De positivo, Andrezinho continua sendo nossa válvula de escape, uma boa partida de Julio dos Santos (para minha surpresa) e de nossa zaga que hoje não fez besteira. Excelente partida de Jorge Henrique e não só por conta do gol. Ele ataca e defende com a mesma vontade e hoje fez a diferença.

Começamos bem, como deveria ser.

Este ano estamos perdendo uma ótima oportunidade de fazer um campeonato estadual melhor e mais interessante. Tivemos uma longa e sem graça primeira fase pela qual os grandes não precisariam passar. Deveria ter sido disputada apenas pelos pequenos e os quatro primeiros que se classificassem para esta fase chamada de Taça Guanabara.

Outra crítica, bem ressaltada pela coluna da Carolina Sousa. Qual foi a vantagem que tivemos por termos a segunda melhor campanha da primeira fase?

Quatro jogos em casa? Sim, mas todos contra os pequenos? A exceção fica por contra do jogo contra o Botafogo… E os jogos fora? Fla, Flu e o melhor dos pequenos!

Ou seja, um primeira fase que de nada adiantou, que para nada serviu.

Enfim… Não é para ser fácil.