E o destino salva mais uma vez

Daqui a alguns anos, quando o Vasco estiver a salvo do Z4, nos lembraremos deste jogo como o salvador. Com todo o respeito ao Panorama Tricolor, nosso irmão, não poderia ter melhor adversário para começar a nos salvar do que o Fluminense, nosso velho freguês. Só levamos perigo em dois lances, tomamos um sufoco depois do gol, e saímos vencedores. Uma vitória fundamental para a permanência na Série A. Agora faltam apenas 7 pontos em 18 possíveis.

Foi um jogo de baixo nível técnico. Se lembrarmos que este clássico já teve nomes como Riveliino, Dinamite, Edinho, Assis, Romerito, Romário, Ramon e tantos outros grandes nome de nosso futebol, ver Luiz Gustavo, Digão, Ibanez, Leo, é de dar tristeza. No primeiro tempo, tivemos apenas duas chances, ambas tricolores: uma em falta cobrada por Luciano aos 24 minutos e defesa de Martin Silva com a bola batendo no travessão e aos 36 novamente com Luciano e outra defesa de Martin Silva. No mais, não tivemos nada de relevante.

No segundo tempo, o Vasco voltou mais aceso e com 4 minutos, chutou sua primeira bola no gol, com Andrey com uma bomba para boa defesa do goleiro Julio Cesar. E aos 12 minutos, o gol da nossa vitória: Thiago Galhardo que entrou no lugar de Fabrício, penetra pela ponta direita e tenta o cruzamento; o zagueiro Paulo Ricardo abre o braço e desvia a bola; pênalti. Maxi Lopéz cobra com categoria e abre o placar. O que se sucedeu ao gol cruzmaltino, foi um ataque contra defesa incrível. O Vasco rebatia e a bola voltava para os flores. Sempre ganhavam a segunda bola. E Martin Silva nos salvou com grandes defesas aos 32 em uma falta cobrada por Sornoza, aos 34 em uma bomba chutada por Everaldo; aos 43 em chute de Ayrton Lucas e aos 46, novamente com Everaldo. Uma verdadeira blitz tricolor.

A verdade é que, mais uma vez, a sorte sorriu para os cruzmaltinos. O Vasco não jogou bem, passamos por um sufoco contumaz na maior parte do tempo. Mas o adversário era o Fluminense e aí, a bola não entrou do lado deles. No primeiro turno o Pedro tirou a vitória cruzmaltina. Mas dessa vez, não tinha o Pedro para salvar os flores. Com isso, falta pouco para o Vasco superar o pesadelo de um quarto rebaixamento. Em frente, gigante da colina.