E o destino ataca novamente

E mais uma vez, o destino veio com força. Últimos 20 jogos, 12 vitórias, a última ontem e 3 derrotas. E esta supremacia sobre o tricolor das Laranjeiras mais uma vez teve sua contribuição na vitória por 1 a 0 no clássico de ontem. Com isso, chegamos a 100% de aproveitamento até aqui no estadual. Não quer dizer muita coisa, mas serve para nos dar alguma confiança em um futuro satisfatório.

O jogo foi movimentado. O Vasco começou logo com uma chance aos 35 segundos, com uma boa arrancada de Marrony na ponta esquerda, com cruzamento certeiro para Pikachu cabecear com o gol vazio, ainda que o goleiro Rodolfo tenha saído mal do gol. E aos 7 minutos, Danilo Barcellos dá espaço e Mascarenhas cruza para Bruno Silva acertar o travessão de Fernando Miguel. E aos 25, o gol que definiu o clássico: Cáceres conduz a bola pela direita e cruza; o zagueiro Nathan Ribeiro levanta o braço e desvia a bola. Pênalti claro. Pikachu cobra no meio do gol e converte. Cabe lembrar que aos 14 minutos, em um lance de disputa por espaço na área cruzmaltina, o atabalhoado Danilo Barcellos se enroscou com Bruno Silva em nossa área, segurou a camisa do adversário e este empurrou o nosso lateral. O juiz preferiu dar a falta a favor da defesa cruzmaltina. Mas houve uma puxada de camisa do imbecil do Barcellos. Fica cada vez mais claro que Danilo Barcellos não tem condições de ser nosso lateral esquerdo. Danilo Barcellos joga mais a frente, como meia ou ponta. Poderia ser usado na posição do Pikachu, por exemplo, pois tem habilidade. Mas é péssimo na marcação. Devemos usar os garotos da base e temos 3: Henrique, Alan Cardoso e Luan. Usa se um deles. E aos 45, um gol imperdível e que liquidaria o jogo: lançamento de 40 metros, Ribamar ganha na corrida da zaga tricolor, passa pelo goleiro, gol vazio, se enrola para tocar a bola para gol e Bruno Silva salva para escanteio. Que coisa. E termina o primeiro tempo. Ah Ribamar….

No segundo tempo, sofremos um pouco, pois os flores vieram com tudo para cima. E ficamos em esporádicos contra-ataques. Só tivemos uma chance aos 10 minutos, em outra boa jogada de Marrony pela ponta esquerda e o goleiro Rodolfo se atrapalha e Pikachu chega atrasado. No mais, o Fluminense dominou esta etapa. Mas teve apenas duas chances em um lance aos 42 minutos: mais uma vez nas costas de Danilo Barcellos, cruzamento de Marcos Calazans, Yoni González raspa de cabeça; Fernando Miguel espalma e na volta, Luciano acerta o travessão. Mais um jogo em que nossa defesa não sai vazada. Passamos no teste, pois paramos o melhor ataque do campeonato até aqui que deu duas goleadas. E os paramos. Valentim acertou nossa defesa. Agora, é ajustar do meio para a frente. Temos ainda a evoluir.

Com mais uma vitória, terminamos como o único time 100% do estadual até aqui. Mas isso não quer dizer muita coisa. Provavelmente, pegaremos um Bangu ou Boavista e depois provavelmente os mulambos. Esse será o melhor teste para nós. Pegar o elenco mais caro do Brasil. Não é o melhor, mas é o mais caro. Primeiro é passar pela semifinal, para depois os encararmos. Sigamos adiante.