Desastre anunciado

A diferença técnica é flagrante. Capacidades de investimento díspares. E isso se refletiu hoje em campo. Foi um passeio dos urubus hoje. E se não fosse a furada de Bruno Henrique no início e o gol mal anulado, seria 4 a 0. Fora outros 2 perdidos por Gabriel. Total poderia ser um vexame histórico. Mas foi só 2 a 0. Bem difícil a situação cruzmaltina: vencer por dois gols de diferença para ir para os pênaltis ou 3 para levar o título.

O jogo foi inteiramente do time rubro-negro. 68% de posse de bola. Foram 7 chances claras de gol do urubu e apenas 3 nossas. Muito pouco para uma decisão. A 1 minuto, Bruno Henrique deu uma furada, cara a cara em jogada de Éverton Ribeiro. E aos 11 minutos, Gabriel chutou e a bola foi pelo lado de fora da rede. O Vasco só teve a primeira chance por volta dos 37 minutos em que Maxi López recebeu um lançamento de Lucas Mineiro, penetrou nas costas de Léo Duarte, mas o zagueiro do urubu se recuperou e afastou o perigo. E aos 46, Éverton Ribeiro chutou de fora da área e Fernando Miguel espalmou a escanteio.

E o segundo tempo seguiu da mesma forma. A diferença é que das outras 4 chances claras criadas, o urubu aproveitou 2. E foi o suficiente. Aos 4 , Gabriel chutou fora da área e Fernando Miguel defende. E aos 10, o urubu faz o primeiro: cruzamento de Renê, Danilo Barcelos rebate mal e Cuellar pega a sobra e rola para Bruno Henrique tocar quase da linha de fundo por baixo de Fernando Miguel, empurrando Danilo Barcelos para dentro do gol. Após o gol, a única chance efetiva do Vasco aos 15 minutos: cruzamento de Danilo Barcelos e Marrony cabeceia no travessão. Aos 25, Maxi chutou na ponta esquerda, na rede pelo lado de fora. E aos 31, o segundo gol do urubu: Cáceres tenta brincar na lateral, perde a bola bisonhamente para Arrascaeta, que cruza rasteiro, Fernando Miguel rebate e Bruno Henrique só confere. 2 a 0, liquidado e o urubu passa a jogar em ritmo de treino contra um Vasco inerte e entregue. O retrato de hoje. Mas não fosse o VAR aos 24 minutos anular um gol legal do urubu, pois foi Werley quem bateu na bola, e seriam 3 gols de diferença. Menos mal.

Reverter uma desvantagem de 2 gols é uma tarefa complicada. Ainda mais por conta da diferença técnica entre os 2 times. O urubu já é o virtual campeão estadual ? Não se pode dizer que tudo está perdido. Ainda tem o segundo jogo. Mas ao menos, cabe ao Vasco agora: primeiro jogar pela sua dignidade; e segundo tentar pelo menos a disputa de pênaltis. 3 gols de diferença é bem complicado. Clássico é clássico. Não está perdido ainda.