Derrota evitável em um minuto

E o Vasco conseguiu ressucitar um adversário praticamente morto. A derrota de 1 a 0 para o São Paulo era evitável e ainda fez com que passássemos a ser fregueses deles. O São Paulo sempre foi um freguês histórico. E os 17 anos de administração pífia nos transformaram em fregueses do São Paulo. Lamentável. E se, de repente perdermos para o Galo na próxima rodada, poderemos ficar a um ou dois pontos da temida zona vermelha. Por isso, ainda vale a cautela e devemos seguir no propósito de alcançar os 46 pontos necessários a permanência na Série A. Por hora, faltam 26 pontos.

Com relação ao jogo, foi um jogo decidido em uma bola e no primeiro minuto de jogo em uma falha clamorosa de nossa zaga. Logo na primeira jogada, passe de pé em pé, a jogada começa com Wellington Nem que toca para Cueva, que toca no meio da zaga, entre Jean e Paulão para Lucas Pratto, livre concluir: Sampa 1 a 0. Mas ao analisarmos o resto do jogo, a rigor, o São Paulo decidiu o jogo aí. Depois do gol tomado, o Vasco teve duas oportunidades, ambas com Bruno Paulista que chutou uma para boa defesa de Renan Ribeiro e a outra rente à trave direita. Fora isso, o Vasco foi inoperante. Com isso, o São Paulo teve chances para aumentar: uma com Wellington Nem, com boa defesa de Martin Silva, aonde Nem se machucou e outra com o lateral Bruno, em passe equivocado de Bruno Paulista, que ao tentar se redimir, entregou a bola à feição para Bruno que chutou à direita de Martin Silva. E assim terminou o horrendo primeiro tempo.

No segundo tempo, o Vasco resolveu repetir a fórmula do jogo contra o Vitória, colocando os garotos para jogar. Hoje foram Guilherme Costa, Evander e Paulinho. Paulinho foi a grata surpresa. Movimentou-se muito bem, deu bons dribles, enfim, bom jogador. Guilherme Costa foi um pouco afoito dessa vez e Evander fez alguns bons passes, mas não foi tão brilhante quanto Paulinho. Paulinho acabou entrando em uma infelicidade de nosso meia Fagner, com estiramento muscular. Deverá ficar parado pelo menos por duas semanas. De qualquer maneira os garotos melhoraram a movimentação de um time antes apático. E criamos três boas chances para empatar: uma com Escudero cabeceando para defesa de Renan Ribeiro; outra com Paulinho em que Renan Ribeiro saiu para defender com os pés; e uma cabeçada salva por Rodrigo Caio em cima da linha. Mas dessa vez a bola infelizmente não entrou. De qualquer maneira, Evander e Paulinho se sairam bem dentro das circunstâncias e aos poucos, quem sabe teremos um time formado pela base a nos proporcionar um futuro alvissareiro. Nesse ponto, o trabalho de MM é notável.

Com relação a competição, conforme já citamos, ficamos a 5 pontos da zona de rebaixamento com essa derrota. É bom ficarmos atentos. Pelo nosso histórico de um rebaixamento recente, não custa nada ficarmos alertas. Próximo jogo, outra pedreira contra o Galo. Oremos.