Chega de empates!

estádio municipal de varginha

Não se pode pensar em outro resultado que não seja a vitória sobre o Boa Esporte logo mais, mesmo com o jogo sendo em Varginha.

Pela tradição do Vasco, por sua história independentemente do mau momento recente, não pode ser normal que o time empate pela quinta vez seguida no Brasileiro.

Noutras oportunidades já falei aqui sobre Adilson. Antes da estreia deste site, eu e Catalano por horas ao telefone, sempre mantive o argumento: nada contra a pessoa do treinador, mas na situação vivida em São Januário era preciso ter alguém com um histórico de vitórias, conquistas, superações. Lembremos que quando Adilson foi contratado, seu grande mérito era o de ter evitado rebaixamentos de equipes modestas no futebol brasileiro. Esse não é o caso do Vasco.

No campeonato estadual, viajando em menor escala e com o natural equilíbrio dos clássicos, além dos times pequenos oferecerem pouca resistência, o clube cumpriu uma boa jornada. Merecia inclusive o título, mas foi tungado pelo padrão Flamenguesa de arbitragem. A vida seguiu.

Na B, a história é outra: há times modestos, mas também outros com força e tradição no Brasil. Você tem Ponte Preta, Náutico, Santa Cruz, mais adversários acostumados a complicar a vida de grandes times – caso do líder Ceará e dos dianteiros América-MG e Joinville. Por outro lado, não se pode achar normal ver o Vasco em qualquer tabela de classificação de qualquer campeonato atrás de Icasa, Luverdense e Sampaio Correa, com todo o respeito que estas agremiações também mereçam.

Se me perguntassem a fórmula, eu não saberia dizer. Agora, que já ajudaria muito evitar as substituições extraterrestres, zoneando por completo a distribuição do time em campo no decorrer dos jogos, não tenho dúvidas. Um time melhora com padrão de jogo e repetição. Como um sujeito vai render bem se numa hora é lateral-direito, noutra vira ala esquerdo e noutra mais se torna meia? Difícil se você não tem supercraques em campo, nem dinheiro.

Nos atuais moldes do campeonato brasileiro, parece lógico que a série B funciona como uma espécie de castigo para quem veio da A. Você tem 38 jogos, tempo suficiente para se recuperar, alinhar e voltar. O Vasco jogou 8 partidas, pouco mais de 20% do total a ser disputado. Está em décimo-segundo lugar, a cinco pontos do quarto colocado, o ABC, que está na zona de acesso. Não é uma distância grande, com 30 jogos à frente e 90 pontos em disputa. Mas precisa começar agora.

Os problemas internos do clube e a verdadeira aberração por conta da punição no começo da competição devem ser deixados de lado. É hora de reação. Oxalá Adilson não pratique suas adilsices logo mais.

@pauloandel