Casa cheia e liderança.

Um jogo mais difícil que contra o Bangu, mas a diferença técnica entre os grandes e os pequenos nesse Campeonato Carioca é enorme.

Pegamos o melhor dos pequenos até agora e vencemos sem muitos sustos.

Um bom primeiro tempo em que procuramos o gol o tempo todo, sem afobação, e ele veio em um escanteio bem cobrado – numa jogada típica de um time bem treinado, marcado pelo “elemento surpresa” Marcelo Matos.

No segundo, o Boavista apertou um pouco mais na marcação e senti que o nosso time cansou no final. Boas substituições do Jorginho: Diguinho e Caio Monteiro entraram bem nas vagas de Julio dos Santos e Jorge Henrique respectivamente.

Gostei do menino Caio Monteiro. Via para dentro do adversário e tem habilidade. Pode vir a dar algum “caldo”.

Nenê ontem, apesar de marcado com violência, movimentou-se mais e estava mais inspirado que nos últimos jogos.

De negativo, novamente o Madson… Das redes sociais, pesquei o seguinte comentário com o qual concordo totalmente:

Definitivamente, Madson não dá.
E o Comentarista ainda falou que ele é constante, parei, pensei e concordarei.
Constantemente erra cruzamento;
Constantemente erra chute a gol;
Constantemente dá condições de jogo ao adversário que poderia estar em impedimento;
Constantemente bate lateral na área que não resulta em porra nenhuma;
Constantemente vai vendido na marcação; e
Constantemente corre pra cacete.

Seria um ótimo corredor de 100 metros rasos.

Ricardo Teixeira (obviamente que não é o ex-presidente da CBF, mas sim um amigo vascaíno do grupo Vascaínos Ilustres do Facebook)

E a “cereja no bolo” ainda foi o gol feito perdido de forma bisonha… Eu não sei porque o Jorginho não dá uma chance ao Yago Pikachu…

De qualquer forma, foi um bom resultado que nos dá a liderança isolada da Taça Guanabara (dependendo do resultado do Fla-Flu de hoje à tarde), e nos dá moral para pegarmos o Botafogo novamente em São Januário.

Vi em alguns grupos vascaínos nas redes sociais um clamor para que o Nenê seja convocado para a Seleção Brasileira…

Numa Boa? PORRA NENHUMA!!!

Deixem ele no Vasco!!!

Não enxergo qualquer vantagem para nós o fato de ele ser convocado.

Corremos risco de perdê-lo por muitos jogos, já que esse calendário pessimamente planejado nos imporia esse desfalque, e talvez até permanentemente, afinal ele estaria numa vitrine mais escancarada para o mundo – já pensaram se um time chinês ou estadunidense oferece um contrato milhonário para ele?

Deixem ele quieto por aqui. Até porque entre Seleção e o Vasco… Bom, vocês sabem muito bem que eu escolheria.

Muito bonita a festa que o massa vascaína fez em Cariacica, na grande Vitória no Espírito Santo. Dezoito mil pessoas nesse campeonato carioca num confronto entre grandes e pequenos, é para poucos.

Que tal então se enchermos nossa casa no próximo domingo no clássico contra o Botafogo?

Os capixabas mostraram como se faz…