CARTA RESPOSTA A UM TORCEDOR VINY

Eu jurei que, após a final da Sul Americana, iria ficar apenas com uma brincadeira costumeira na minha rede social, onde posto um simples “Posso rir?”. Não sou de ficar zoando muito mesmo sendo zoado como “torcedor de um time de segunda”, “eterno vice”, “freguês”… Sou do estilo que não curto ser zoado, então cabe-me não fazer o mesmo. E jurei sequer dar palavras sobre o jogo da semana, mas após uma postagem de um torcedor rubro-negro chamado Viny, que viralizou como uma verdade absoluta, achei pertinente colocar uns pontos em questão.

Concordo com ele em alguns pontos, como não considerar vergonha conquistar um vice-campeonato. Nós mesmos somos vítimas da brincadeira de perder sempre nas finais. Se chegamos a este ponto, é um mérito e tanto passar por praticamente todos os concorrentes, menos o último.

Concordo claramente que é uma vergonha descer três vezes para a série B. Em qualquer outro time com um mínimo de seriedade e em qualquer lugar do mundo, isso seria motivo de destituição de diretoria e de equipe técnica integralmente.

Mas como é fácil falar das vergonhas alheias em detrimento das próprias para se dirimir das verdadeiras, vamos aos fatos:

– Vergonha é ter como idolatrados, jogadores com ligação e apologia ao tráfico e denominados como “Imperador”, por exemplo.

– Vergonha é ter goleiros-unanimidades sendo um preso por assassinato e outro que ficou mais famoso por dizer que uma decisão “roubada é mais gostosa”.

– Vergonha é se vangloriar de ser o melhor do estado e se classificar para a Libertadores, mas para isso precisou de ajuda do Grêmio e do Cruzeiro e de um gol de pênalti aos 48 do segundo tempo, no último jogo do campeonato. Isso tudo com investimento de milhões.

– Vergonha é ver que o técnico que dispensaram, fez um bom trabalho no rival. Ou seja, o problema não era o técnico.

– Vergonha é ser campeão estadual sem ter ganho um turno sequer e ainda assim falarem aos quatro ventos que o torneio favorece sempre ao rival.

– Vergonha é passar por mais de 30 anos contestando um título nacional, onde em várias instâncias ficarem provadas que o troféu não deveria estar na Gávea.

– Vergonha é dizer que as finanças do time estão melhorando quando dinheiro e influência do BNDES e da Vale estão em jogo, ou seja, o dinheiro do povo inclusive das torcidas rivais.

– Vergonha é ver que a premiação do time argentino foi limada da transmissão. Era um torneio internacional e merecia um mínimo de respeito ver o vencedor levantar a taça.

– Vergonha é ver a selvageria que tomou conta do entorno do estádio. Violência aos reais torcedores e famílias com crianças, que ficarem do lado de fora, por causa da invasão. Mensurar o risco de segurança que passaram com a correria, bombas de gás, fogos, tiros e etc, fica até impossível de ser avaliado.

– Vergonha é ver que a diretoria não vê culpa na torcida pelos fatos de vandalismo, e sim, de grupos infiltrados. Bom, se eles estavam uniformizados e sendo milhares, mesmo com aqueles que embarcam na loucura apenas pelo prazer da confusão, eles são torcedores sim, mesmo que maus torcedores. A diretoria precisa rever estes conceitos.

– Vergonha é contar, assim como o Corinthians, com o maior repasse de verba publicitária de uma emissora de tevê por ano, em detrimento das demais. Temos vinte times e independente do “retorno”, o valor deveria ser por igual. Usem o exemplo das escolas de samba, quando recebiam aporte por igual para fazerem seus desfiles.

– Um fato que não vejo exatamente como “vergonha”, mas uma apropriação involuntariamente indevida é se intitular um time do povo. Quem tem mais de 30 anos e um mínimo de conhecimento de história, vai saber que o primeiro time de futebol no país a abrir as portas para o povo, permitir jogadores negros e fazer com que o futebol deixasse de ser coisa de elite, foi justamente o da Cruz de Malta.

Poderíamos ficar o dia inteiro enumerando fatos, mas caro Viny, do alto dos seus trinta e poucos anos, pouco sabe de futebol e da história do mesmo. Um Google vai ajudá-lo a perceber que além de Zico e Júnior, tem Dinamite, Rivelino, Gérson, Zagalo, Washington, Bellini (ironicamente um vascaíno levantando uma taça de Copa do Mundo) no ponto de encontro dos rubro-negros, no Maracanã. Assim poderá até com mais base, comentar das vergonhas de cada time que não seja o seu. Use como exemplo a Chapecoense, até então um time sem jogadores, que conseguiu o campeonato regional e vaga na Pré-Libertadores no ano seguinte, mostrando que humildade, trabalho e simpatia sem usar o pé na porta na cara dos rivais, faz bem ao time, ao ego da torcida e ao futebol. Sente-se um dia em uma praça com os senhorinhos, beba algumas e ouça as histórias deles sobre futebol. Certamente vai aprender um pouco mais sobre o esporte favorito dos brasileiros.

Assim, com essas premissas, espero que o meu time passe pelas fases necessárias da Libertadores, esquecendo uma diretoria no mínimo questionável e que usa nosso pavilhão como feudo (e a história há de mostrar que ele é ínfimo perante o nome da instituição que preside e que os modos de eleição devem ser mais abertos e democráticos), sem maiores vergonhas e que seja, ao menos, vice.

#pas

Posted By Aloisio Santos

3 Comments

M.Medeiros

Aloisio Santos, Vergonha é o roubado é mais gostoso. Vergonha é a bola entrar mais de 30 centimetro e o fiscal de linha,em cima do lance,não ver.Vergonha,ganhar vários
campeonato na base do apito amigo. Vergonha, um soprador de apito parar o jogo para anular um gol do adversário, acontecido a mais de 20 minutos. Vergonha é ver
a flapress tentado encobrir a podridão da gávea.Vergonha,é ver essa esma imprensa fabricando um jogadorzinho em joia preciosa, quando o mesmo já provou que não e
essas coisas que tanto proclamam.

Aloisio Santos

Pois é, meu caro.
Foi como eu disse, se pararmos para ver as vergonhas alheias, certamente perderíamos um bom tempo.

Tito Lemos

Vergonha é ter dirigentes envolvidos na lavajato, vergonha é ganhar os seus principais títulos com ajuda do apito, vergonha é ter que subornar a portuguesa, e por aí vai!!!

Leave a Comment

Your email address will not be published. Required fields are marked *