Cano neles…

Hoje, vimos o que é um time bem treinado e que sabe exatamente o que é preciso ser feito. Ramon Menezes conseguiu imprimir sua marca, o bom trabalho até aqui, transformar um time limitado em um time competitivo e eficiente. E foi o que ocorreu hoje: em 2 chances, German Cano foi cirúrgico e mais uma vitória: 2 a 1 sobre o tricolor paulista na tarde de hoje.

O Sampa teve o domínio do jogo a maior parte do tempo. Porém pouco efetivo. Nos primeiros 20 minutos, praticamente o Vasco não conseguiu passar do meio campo. E aos 8 minutos, Talles Magno é pressionado, perde a bola e na troca de passes, Daniel Alves entra como uma flecha, mas Talles Magno se recupera e o trava, impedindo o gol do time paulista. E aos 25, o primeiro lance de real perigo: cruzamento de Martin Benitez e Talles Magno cabeceia à queima roupa e Tiago Volpi defende no reflexo para escanteio. A partir daí, o jogo ficou mais equilibrado, o Sampa diminuiu a pressão e somente aos 38 minutos, em um dos poucos vacilos defensivos do onze cruzmaltino, Fellipe Bastos não domina a bola e Igor Gomes conduz a bola livremente e chuta para boa defesa de Fernando Miguel.

No segundo tempo, nos primeiros 20 minutos, se repetiu o mesmo quadro do primeiro tempo: o Sampa fazendo pressão intensa para provocar os erros defensivos na saída de bola cruzmaltina. E um desses erros, aos 9 minutos, Paulinho Bóia sai costurando pela esquerda e chuta colocado no travessão. Só que…. quem não faz toma. E aos 19 minutos, o atrapalhado Reinaldo dá uma pixotada e cede um escanteio de graça. Benitez cobra, Talle Magno revala e a bola sobra limpa para German Cano. Caixa! Vasco 1 a 0. O São Paulo se lança de forma mais deseperada ao ataque e aos 28, Liziero perde bisonhamente a bola, Andrey dispara de forma fulminante e passa para Cano, livre, que não perdoa…. 2 a 0. A partir daí, o Sampa vai todo e aparee a scolidez ofensiva da equipe de Ramon Menezes. Uma atuação praticamente perfeita da defesa, de Caio Tenprio a Henrique, e depois Neto Borges. E aos 46 minutos, nos acréscimos, o VAR arrumou um pênalti para o tricolor paulista; no vídeo, não tem como concluir efetivamente que a bola resvala no braço de Andrey. Enfim. O estabanado Reinaldo teve que bater duas vezes para fazer e fim de jogo. E pensar que parte da torcida chegou a cogitar esse bobalhão para jogar na lateral esquerda cruzmaltina. Tenório colocou ele no bolso.

O Vasco se encontra com 100% de aproveitamento e ficará em quinto lugar, na pior dos hipóteses. É evidente o dedo de Ramon Menezes no desempenho do time até aqui. O Vasco foi sendo moldado nos jogos treino realizados e devemos agradecer ao Voltaço, que foi terceiro colocado no COVIDÃO 2020, que foi um ótimo teste final em que mostrou as deficiências a serem ajustadas, dentro das limitações já conhecidas. Claro que o time não será campeão e nem disputará títulos. Mas é um bom passo para dias melhores e mais dignos. Hoje temos técnico, como o nobre colunista Zeh Catalano mencionou de forma oportuna em sua coluna. CANO NELES!